O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

UEFA conclui investigação à Arena Khimki

A UEFA concluiu a investigação sobre a razão do protocolo de três passos não ter sido iniciado após os incidentes racistas no jogo do Manchester City no terreno do CSKA Moscovo.

A UEFA conduziu uma investigação, solicitada pelo Presidente da UEFA, Michel Platini, para compreender a razão do protocolo de três passos, estabelecido para lidar com incidentes de natureza racista, não ter sido implementado no jogo da UEFA Champions League, entre PFC CSKA Moskva e Manchester City FC, na semana passada.

A investigação foi conduzida separadamente em relação ao caso examinado e a decisão comunicada pelo Comité de Controlo e Disciplina da UEFA. Baseou-se nos relatos de vários dirigentes presentes no jogo, material de vídeo e de som, bem como declarações de várias pessoas envolvidas na realização do encontro. As conclusões são claras quanto ao porquê do protocolo de três passos não ter sido iniciado.

Aos 54 minutos da partida do Grupo D, o árbitro romeno Ovidiu Haţegan parou o jogo para assinalar um livre e mostrou cartão amarelo a um jogador do CSKA. Enquanto o jogo esteve parado, o árbitro foi abordado pelo capitão do City, Yaya Touré, que se queixou dos adeptos da casa lhe terem dirigido cânticos racistas. O árbitro e o árbitro assistente adicional, colocado nesse lado do relvado, testemunharam o comportamento inadequado de um pequeno grupo de adeptos.

O árbitro imediatamente dirigiu-se ao quarto árbitro e pediu-lhe que fosse feito um anúncio ao público. O director de recinto (delegado da UEFA encarregue das operações futebolísticas), que não tinha ouvido os cânticos, não activou o procedimento. Como os cânticos pararam, o árbitro decidiu retomar o jogo com a marcação do livre.

Dessa forma, a conclusão da investigação é que o árbitro tinha accionado correctamente o primeiro passo, ao pedir o anúncio público no estádio. O director de recinto não agiu da forma correcta, ainda que de boa-fé, causando por isso a falha na activação do primeiro passo do procedimento, como tinha sido decidido pelo árbitro.

O director de recinto da UEFA presente na Arena Khimki foi destituído do cargo.