Klopp deliciado com exibição "fantástica" do Dortmund

Enquanto Jürgen Klopp descreveu a actuação do Dortmund como "extremamente madura", Arsène Wenger reconheceu que a falta de calculismo custou caro ao Arsenal.

Henrikh Mkhitaryan inaugura o marcador para o Dortmund
Henrikh Mkhitaryan inaugura o marcador para o Dortmund ©Getty Images

Arsène Wenger, treinador do Arsenal 
É uma derrota difícil de digerir, porque apesar de nunca termos conseguido estar realmente ao nosso melhor nível esta noite, estávamos por cima quando sofremos o segundo golo. Perdemos porque quisemos tanto ganhar que nos esquecemos que quando não se consegue ganhar, há que não perder. Isso é o que mais me custa, porque demos tudo o que tínhamos.

Começámos algo hesitantes e isso deu confiança ao nosso adversário. O nosso futebol fluido não foi, desta feita, suficientemente rápido. Vimo-nos a perder por 1-0 e, quando não se começa bem, é muito difícil reentrar no jogo. Ainda assim estivemos bem no segundo tempo e fomos melhores. Só nos esquecemos de ter algumas cautelas no sector recuado. Não fomos suficientemente cautelosos e pagámos caro por isso. Demos um golo de avanço a abrir e fomos ingénuos no fim.

Foi um jogo de alta intensidade, mas com poucas ocasiões de golo. O Dortmund apresentou-se muito bem organizado e preparado para travar o nosso estilo de jogo. As desilusões fazem parte do crescimento de qualquer equipa. Alguns jogadores estão um pouco cansados. Estamos num grupo muito equilibrado, difícil, mas é possível seguirmos em frente. Vamos precisar de somar um bom resultado fora de portas.

Jürgen Klopp, treinador do Dortmund 
Foi uma exibição fantástica da nossa parte. Jogámos fora contra o Arsenal, uma equipa que se encontra numa forma excepcional, mas conseguimos causar-lhe muitos problemas. Foi um jogo bastante aberto, que acabámos por vencer graças a um fantástico lance de ataque.

A minha equipa deu tudo o que tinha. Entrámos bem, trabalhámos bastante quando não tínhamos a bola em nosso poder e produzimos alguns contra-ataques soberbos. Depois chegámos ao 1-0, mas o Arsenal é uma equipa demasiado forte para ser travada durante 90 minutos. Ainda assim, acabámos por conseguir que eles não criassem muitas oportunidades de golo.

As duas equipas lutaram muito, mas estivemos sempre muito atentos e prontos para decidir o jogo no contra-ataque. Depois de chegarmos ao segundo golo estivemos muito bem a segurar a vantagem nos derradeiros minutos. Foi uma grande actuação da nossa parte, mostrámos uma enorme maturidade.