Alterações de Ancelotti produzem efeito no Real

Carlo Ancelotti explicou que o Real Madrid utilizou melhor os flancos para desse modo bater o Copenhaga e deixar Ståle Solbakken a reflectir sobre uma primeira parte decisiva.

Ángel Di María festeja após marcar ao Copenhaga
Ángel Di María festeja após marcar ao Copenhaga ©Getty Images

Carlo Ancelotti, treinador do Real
Penso que esta noite estivemos mais equilibrados. A equipa foi mais compacta e tentámos jogar com maior profundidade. Os jogadores seguiram à risca o plano de jogo definido esta semana, e a nossa mudança de atitude foi muito boa. Modificámos o sistema para utilizar mais os flancos e a criar espaços. Dispusemos de pouco espaço no meio-campo, por isso é que fizemos esta alteração, devido ao facto de o Copenhaga ser uma equipa muito forte. Os nossos jogadores possuem qualidade para alinharem em todos os esquemas tácticos possíveis.

Iker Casillas jogou bem, efectuou algumas defesas excelentes nos derradeiros minutos. Ele é muito importante para o plantel. É um profissional de topo e ajuda bastante os colegas.

Ståle Solbakken, treinador do Copenhaga
A nossa exibição foi aceitável até o adversário marcar o segundo golo. Após isso, um erro crasso da nossa parte originou o 3-0. Finalmente, uma má troca de bola no meio-campo resultou no quarto golo. A nossa primeira parte foi boa; tivemos três oportunidades, uma das quais podia ter decidido o jogo, com o cabeceamento do Nicolaj Jørgensen à barra.

O Real Madrid marca 70 por cento dos seus golos em contra-ataque, e num primeiro instante estivemos muito bem a evitar isso. Assim, foi com tristeza que vimos o Ronaldo fazer o 1-0 após um erro de Johan Wiland, e no entanto, o Johan fez algumas defesas importantes na primeira jornada, por isso não deve ser muito criticado. Apesar de tudo, podíamos muito bem ter chegado ao intervalo em vantagem, e não a perder.