Klopp elogia Dortmund "imparável"

"Foi futebol em estado puro, os meus jogadores estiveram imparáveis", disse o treinador do Dortmund, Jürgen Klopp, depois da vitória por 4-1 na primeira mão da meia-final, sobre um Real Madrid que teve "uma noite má".

Jürgen Klopp (à direita) saúda José Mourinho, do Real Madrid
Jürgen Klopp (à direita) saúda José Mourinho, do Real Madrid ©AFP/Getty Images

Jürgen Klopp, treinador do Dortmund 
Foi uma exibição incrível da minha equipa. O Real Madrid é muito forte e sabíamos que não seria um jogo fácil. Nos primeiros 25 minutos fomos excelentes. Depois perdemo-nos um pouco e permitimos que eles voltassem ao jogo. Ao intervalo disse aos jogadores que era necessário jogar da forma que aprendemos, o que fizemos e, tornámo-nos muito melhores. Não sei como o dizer, mas foi como se algo se tivesse acendido na segunda parte. 

Abracei os meus jogadores porque realmente eles mereceram-no. Foi futebol em estado puro, estiveram imparáveis. Perdemos o controlo da partida após os 25 minutos, o que fez a equipa ficar instável e o empate aconteceu. Disse-lhes ao intervalo que nada de mau havia acontecido e que teríamos que marcar em Madrid, tal como esteve sempre nos nossos planos.

Seguiu-se aquela grande exibição na segunda parte. Nunca vi um golo tão bom como o terceiro do [Robert Lewandowski] Lewy – foi maravilhoso. Uma final germânica é agora mais provável de acontecer, mas sabemos que ainda temos um jogo muito duro para cumprir em Madrid. Foi uma experiência inolvidável para todos os envolvidos, independentemente do que vier a acontecer na segunda mão. 

O lado mau de haver dois jogos numa eliminatória é o facto de ainda termos de jogar em Madrid. Assim, devemos manter-nos calmos e não entrar já em euforia. Todos sabemos que não vai ser um passeio em Madrid. O [Mario] Götze teve um desempenho fantástico.

Ficámos instáveis quando concedemos o empate. No entanto, caso não o tivéssemos permitido, duvido que conseguíssemos marcar três golos na segunda parte. Aumentámos de velocidade na segunda metade e, além disso, evitamos cometer mais erros.

José Mourinho, treinador do Real Madrid 
Eles foram, de longe, a melhor equipa. Ganharam nos duelos individuais. Estiveram melhor organizados do que nós, além de melhor fisica e mentalmente. O jogo passou de 1-1 para 4-1 num curto espaço de tempo. Perdíamos a bola facilmente e isso prejudicou-nos as transições e as saídas rápidas para o contra-ataque.

Sabemos tudo sobre eles e também sobre o [Robert] Lewandowski, mas perdemo-lo em três golos, o que não chega. Quando perdemos bem não é tão difícil de aceitar.

Três golos resultaram da facilidade com que perdemos a bola e não houve a correcta marcação. Conhecemos as movimentações do Lewandovski e ele merece o reconhecimento pelo seu desempenho, não lhe tornamos as coisas tão difíceis como pretendíamos.

Estávamos preparados para o jogo desta noite, mas muitos jogadores tiveram um mau jogo e uma má noite. Ao nível dos clubes este é o segundo jogo mais importante, depois da final. Obviamente que estou desapontado pela forma como as coisas aconteceram.

Nós podemos [dar a volta], é difícil, mas nós podemos fazê-lo. No futebol tudo é possível. Numa noite louca em que toda a gente jogue a um nível muito elevado, em que cada oportunidade é um golo, poderemos conseguir a reviravolta.