Barcelona não resiste a vendaval bávaro

FC Bayern München 4-0 FC Barcelona
As concretizações de Thomas Müller (dois golos), Mario Gómez e Arjen Robben foram os pontos mais altos numa exibição perfeita do Bayern frente ao Barça.

Thomas Müller (à direita) festeja um dos seus dois golos com Mario Gómez (à esquerda) e Franck Ribéry
Thomas Müller (à direita) festeja um dos seus dois golos com Mario Gómez (à esquerda) e Franck Ribéry ©AFP/Getty Images

O FC Bayern München recebeu e goleou o FC Barcelona, por 4-0, em partida da primeira mão das meias-finais da UEFA Champions League, colocando-se numa confortável posição para o encontro de 1 de Maio, em Camp Nou.

O Bayern concretizou a sua superioridade no primeiro tempo através de dois golos, da autoria de Thomas Müller e Mario Gómez, na sequência de lances de bola parada, aos quais se juntaram, já no segundo tempo, um tento de Arjen Robben e outra concretização de Müller, que ditaram um confortável triunfo dos bávaros, frente a um Barcelona que somente aos 69 minutos conseguiu criar algum perigo na área contrária.

A partida iniciou-se com uma defesa de Víctor Valdés com os pés logo no primeiro minuto, a remate de Robben, após iniciativa de Javi Martínez. Após um período de relativa acalmia, o Bayern adiantou-se no marcador aos 25 minutos, com Müller a aproveitar a liberdade que lhe concederam na área para mergulhar de cabeça para o golo, após passe de Dante.

O Barça nunca soube reagir, mesmo com Lionel Messi de regresso à titularidade após ter falhado os últimos três jogos da Liga espanhola, e acabou por consentir o 2-0 nos primeiros minutos da segunda parte, quando Mario Gómez somente teve que encostar a bola endereçada de cabeça por Müller, na sequência de um canto de Robben.

E só depois de iniciativas individuais de Müller e Ribéry culminadas com remates ligeiramente ao lado é que o Barça conseguiu, aos 69 minutos, importunar Manuel Neuer pela primeira vez, embora o remate de Marc Bartra tivesse saído fraco e à figura.

No entanto, o Barça terminou aí, tanto mais que, quatro minutos depois, sofreu o 3-0, com Robben a concluir com um remate de ângulo apertado uma jogada, depois de um drible sobre Jordi Alba um contra-ataque iniciado com um pormenor de Ribéry em que sentou Messi no chão.

Bartra rematou para as nuvens na resposta e, depois de Müller ter perdido uma oportunidade clara isolado perante Valdés, chegou o 4-0 final, com o citado dianteiro do Bayern a desviar à boca da baliza um excelente passe de David Alaba, sendo de imediato rendido por Claudio Pizarro.

Nesse instante, Tito Vilanova mexeu na equipa, fazendo entrar David Villa (para o lugar de Pedro Rodríguez) num jogo onde o Barça pareceu nunca ter entrado.