Van der Wiel orgulhoso com progressos do PSG

Gregory van der Wiel disse ao UEFA.com que o PSG realizou um "excelente trabalho" ao travar duas vezes o Barcelona e que pode estar orgulhoso dos progressos mesmo sendo eliminado.

Os festejos do PSG em Camp Nou não duraram até ao fim
Os festejos do PSG em Camp Nou não duraram até ao fim ©Getty Images

Assim que os jogadores do Paris Saint-Germain FC colocaram de lado o sabor amargo da eliminação em Camp Nou houve dois sentimentos dominantes.

Primeiro que tudo, tinham jogado de forma ousada e com admirável intenção ofensiva. Em segundo lugar, o facto de, mesmo sem estar a 100 por cento, Lionel Messi lhes tenha custado um lugar nas meias-finais da UEFA Champions League. Gregory van der Wiel disse ao UEFA.com que optou por concentrar-se nos aspectos positivos: a proximidade que o PSG esteve da glória, o facto de ter actuado bem ao longo de 180 minutos da eliminatória com o FC Barcelona, perdida no desempate por golos fora após o 1-1 da primeira mão, e quão longe acredita que a sua equipa, ainda em fase de construção, chegou na época de estreia de Carlo Ancelotti.

Gregory van der Wiel, PSG defender
Claro que estamos orgulhosos; fizemos um grande trabalho frente a uma das melhores equipas do Mundo. Empatámos duas vezes frente ao Barcelona e isso certamente é algo de que nos podemos orgulhar. Tacticamente, o treinador pediu-nos várias coisas. Estarmos atentos ao Barcelona e não deixá-lo impor o seu estilo de jogo. Pressioná-lo tanto quanto possível e, o mais importante, ter a coragem de assumir o nosso próprio estilo.

Talvez o Barcelona seja uma equipa diferente quanto o Messi não joga. Todos sabemos que é um jogador fantástico, que pode decidir um jogo sozinho. Mas esta noite tivemos a hipótese de ganhar aqui. Viram como o público reagiu quando ele entrou. Penso que também foi um grande impulso para a equipa. É óbvio que saímos daqui desiludidos, mas acima de tudo podemos estar orgulhosos dos progressos que fizemos.

Salvatore Sirigu, guarda-redes do PSG
Hoje jogámos realmente bem. Demos o nosso melhor. Começámos muito bem e sabíamos quando atacar e quando defender. No fim de contas, estamos orgulhosos, mesmo que existam arrependimentos, porque era possível seguir em frente.

Javier Pastore, avançado do PSG
Realizámos uma grande exibição. Mostrámos que as equipas forasteiras podem jogar bem aqui e atacar o Barcelona. Infelizmente, eles marcaram o golo de que necessitavam para garantir o apuramento para as meias-finais. O Messi foi o jogador decisivo. Após marcarem transformaram-se numa equipa diferente. Mostraram-se relaxados e a jogar como gostam. Era imperativo impedi-los de marcar, mas parece que conseguem sempre um golo em Camp Nou.

Christophe Jallet, defesa do PSG
Esta noite realizámos m grande esforço. Não receámos o adversário e jogámos da forma que sabemos. Criámos problemas desde o início e penso que isso os deixou nervosos, já que a eliminação esteve perto de acontecer.