PSG testa força do Barcelona em Camp Nou

O Barcelona não perde em casa na Europa há mais de três anos, mas o bom registo do PSG nos jogos em Espanha vai obrigá-lo a estar alerta se quiser chegar às meias-finais.

Retrospectiva: FC Barcelona - Paris Saint-Germain FC ©Getty Images

O FC Barcelona espera ter mais uma noite memorável em Camp Nou, quando o Paris Saint-Germain FC fizer a visita para a segunda mão dos quartos-de-final da UEFA Champions League.

• O Barça conseguiu um triunfo por 4-0 na recepção ao AC Milan, nos oitavos-de-final, e não perde no seu estádio, na Europa, há mais de três anos. O empate 2-2 na primeira mão, em França, conseguido pelo golo nos descontos apontado por Blaise Matuidi na última jogada do desafio, devolveu esperança ao PSG, vencedor dos três últimos jogos fora. A partida marca o reencontro de três antigos jogadores do clube de Camp Nou: Zlatan Ibrahimović, Thiago Motta e Maxwell.

Encontros anteriores
• O PSG de Luis Fernandez empatou 1-1 no Camp Nou na única visita, nos quartos-de-final da UEFA Champions League de em 1994/95. George Weah (57) anulou o golo inaugural de Igor Korneev (48) na primeira mão e, depois, o clube francês recuperou de desvantagem para vencer em Paris. Apesar de José María Bakero (49) ter colocado em vantagem os visitantes, orientados por Johan Cruyff, o PSG marcou duas vezes nos instantes finais, quando Raí (72) e Vincent Guérin (83) bateram o guarda-redes Carles Busquets, pai do médio do Barcelona com o mesmo nome.

• As equipas desse jogo em Camp Nou, a 1 de Março de 1995, foram as seguintes:
Barcelona : Busquets, Ferrer, Koeman, Guardiola (Amor 19), Sergi, Iglesias, José Mari, Korneev, Bakero, Stoichkov, Beguiristain (Eskurza 75).
PSG : Lama, Cobos, Kombouaré, Roche, Colleter, Bravo, Le Guen, Guérin, Valdo, Ginola (Rai 61), Weah.

• O Barcelona desforrou-se dessa derrota quando a equipa de Bobby Robson bateu o PSG de Ricardo Gomes por 1-0, na final da Taça dos Vencedores das Taças de 1997, realizada em Roterdão, numa partida em que o brasileiro Ronaldo apontou o único golo, aos 37 minutos.

• As equipas dessa final, a 14 de Maio de 1997, foram as seguintes:
Barcelona: Baía, Ferrer, Abelardo, Couto, Sergi, Figo, Popescu (Amor 46), Guardiola, De La Peña (Stoichkov 85), Luis Enrique (Pizzi 89), Ronaldo.
PSG: Lama, Domi, Le Guen (Dely Valdés 68), N’Gotty, Fournier (Algerino 58), Leroy, Guérin, Rai, Cauet, Leonardo, Loko (Pouget 78).

• Os clubes empataram 2-2 num amigável de pré-época, em Paris, a 4 de Agosto do ano passado, tendo o Barcelona ganho por 4-1 no desempate por penalties. O Barça esteve a ganhar por 2-0, graças a golos de Rafinha e Lionel Messi (de penalty), antes de os anfitriões responderem com tentos de Ibrahimović, também de grande penalidade, e de Zoumana Camara.

• As equipas foram as seguintes:
PSG: Douchez (Sirigu 46); Maxwell (Armand 46), Sakho (Tiéné 62), Alex (Camara 46), Jallet (Bisevac 61); Pastore, Bodmer (Hoarau 72), Rabiot (Verratti 46); Lavezzi (Luyindula,C 61), Ibrahimović (Matuidi 61), Nenê (Gameiro 46).
Barcelona: Valdés (Pinto 46), Planas (Montoya 46), Mascherano (61), Puyol (Bartra 46), Alves (Tello 78); Roberto (Xavi 63), Busquets (Dos Santos 46), Rafinha (Fàbregas 62); Afellay (Iniesta 62), Messi, Sánchez (Pedro 63).

Retrospectiva
• Quatro vezes vencedor da prova, o Barcelona quer chegar às meias-finais pela sexta vez consecutiva e não perde há 20 jogos caseiros na UEFA Champions League, tendo ganho 16, desde a derrota por 2-1 ante o FC Rubin Kazan, a 20 de Outubro de 2009.

• O Barcelona apresenta um excelente registo caseiro frente a equipas francesas: 5V 1E 1D. O mais recente encontro em casa frente a um adversário da Ligue 1 foi um triunfo por 5-2 na segunda mão dos oitavos-de-final de 2008/09, com o Olympique Lyonnais. Foi o terceiro triunfo consecutivo em Camp Nou com formações gaulesas.

• O PSG venceu quatro e empatou um dos oito encontros que disputou até à data em solo espanhol. O triunfo obtido nos oitavos-de-final da presente edição da prova frente ao Valência constituiu o quinto sucesso da turma parisiense em cinco eliminatórias a duas mãos com formações espanholas.

• Esta é apenas a segunda presença do PSG em quartos-de-final da UEFA Champions League, tendo a primeira ocorrido no acima referido embate com o Barça, em 1994/95. A  formação parisiense esteve presente nos quartos-de-final de uma competição europeia pela última vez em 2008/09, na Taça UEFA, tendo então sido eliminada pelo FC Dynamo Kyiv.

• O Barcelona participa nos quartos-de-final da Taça dos Campeões pela 15ª vez e possui um recorde de 12 apuramentos em 14 tentativas. A turma catalã não teve de passar pelos quartos-de-final quando atingiu a final nas épocas 1991/92 e 1993/94.

• Os "blaugrana" apuraram-se nas últimas seis vezes em que participaram nos quartos-de-final da UEFA Champions League; a sua última derrota nesta fase aconteceu frente à Juventus, em 2002/03.

• O registo do Barcelona em desempates por pontapés da marca de grande penalidade nas competições da UEFA é o seguinte:
5-4 frente ao KKS Lech Poznań, 1988/89, segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças
0-2 frente ao FC Steaua Bucureşti, 1985/86, final da Taça dos Campeões Europeus
5-4 frente ao IFK Göteborg, 1985/86, meias-finais da Taça dos Campeões Europeus
4-1 frente ao RSC Anderlecht, 1978/79, segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças
3-1 frente ao Ipswich Town FC, 1977/78, terceira eliminatória da Taça UEFA
5-4 frente ao AZ Alkmaar, 1977/78 segunda eliminatória da Taça UEFA

• O registo do PSG em desempates por pontapés da marca de grande penalidade nas competições da UEFA é o seguinte:
3-4 frente ao Rangers FC, 2001/02, terceira eliminatória da Taça UEFA

Ligações entre as equipas
• Ancelotti sofreu uma derrota nas meias-finais da UEFA Champions League frente ao Barcelona em 2005/06, quando o Milan por si orientado sucumbiu por 1-0 em casa, na primeira mão, antes de empatar 0-0 em Camp Nou. Na época anterior, o Milan tinha defrontado o Barcelona na fase de grupos e ganhou 1-0 em casa, mas perdeu fora por 2-1.

• O triunfo do PSG sobre o Valência, nos oitavos-de-final, constitui a primeira ocasião em que, na qualidade de treinador, Ancelotti levou a melhor sobre uma equipa de Espanha em eliminatórias a duas mãos. Ao comando do Milan, perdeu com o Deportivo nos quartos-de-final da época 2003/04, quando o então campeão europeu desperdiçou uma vantagem de 4-1 alcançada na primeira mão e perdeu por 4-0 na Galiza. Ao leme da Juventus, perdeu por 4-0 em casa do RC Celta de Vigo e foi eliminado na quarta eliminatória da edição 1999/2000 da Taça UEFA.

• Enquanto jogador, o registo de Ancelotti frente a equipas de Espanha, a duas mãos, é de 3V 2D. O seu jogo mais ilustre aconteceu quando marcou na goleada de 5-0 do Milan sobre o Real Madrid CF, nas meias-finais da edição 1988/89 da Taça dos Campeões. No Verão anterior, tinha ajudado a Itália a vencer a Espanha, por 1-0, no Campeonato da Europa de 1988.

• Motta iniciou a carreira nos escalões de formação do Barcelona em 1999 e, em oito anos na Catalunha, realizou 96 jogos na Liga espanhola e marcou seis golos. Conquistou dois campeonatos e foi suplente não utilizado no triunfo sobre o Arsenal na final da edição 2006 da UEFA Champions League.

• Maxwell ingressou no Barcelona em 2009 e rumou ao PSG em Janeiro de 2012. Realizou 57 jogos na Liga espanhola e ganhou dois campeonatos, mas não foi utilizado no triunfo do Barcelona na final de 2011 da UEFA Champions League.

• Ibrahimović passou a temporada 2009/10 no Barcelona, pelo qual ganhou a SuperTaça Europeia, a Supertaça de Espanha, o Mundial de Clubes e a Liga espanhola. Marcou 16 golos em 29 jogos do campeonato e mais quatro em dez partidas na UEFA Champions League.

• Thiago Silva marcou de cabeça, aos 92 minutos, o golo que permitiu ao Milan empatar 2-2 em jogo da UEFA Champions League realizado em Camp Nou, em Setembro de 2011. Fez também parte da equipa do Milan derrotada por 3-2 em casa, frente ao Barcelona, no jogo da segunda volta.

• David Beckham jogou sete vezes pelo Real frente ao Barcelona e contabiliza 3V 1E 3D. Fez parte da equipa do Manchester United que venceu o FC Bayern München na final da UEFA Champions League de 1999, no Camp Nou, tendo estado nos dois golos da formação inglesa, nos descontos, que lhe valeram um triunfo por 2-1.

• Motta foi suplente utilizado na segunda parte e Salvatore Sirigu não saiu do banco de suplentes, quando a Itália perdeu a final do UEFA EURO 2012 frente à Espanha, por 4-0, em Kiev. Jordi Alba marcou o segundo golo, numa partida que contou igualmente com Gerard Piqué, Xavi, Andrés Iniesta, Sergio Busquets e Cesc Fàbregas.

• A Holanda de Gregory van der Wiel perdeu a final do Campeonato do Mundo de 2010 frente à Espanha, que contou com Piqué, Puyol, Xavi, Iniesta, Busquets, Fàbregas, Pedro Rodríguez e David Villa.

• Blaise Matuidi, Mamadou Sakho e Jérémy Ménez representaram a selecção de França no empate 1-1 com a Espanha, em Madrid, num jogo de qualificação para o Mundial realizado a 16 de Outubro do ano passado.

• Éric Abidal representou AS Monaco FC, LOSC Lille e Lyon antes de se transferir para o Barcelona, em 2007.

• Alex Song iniciou a carreira no SC Bastia, clube da Córsega, tendo realizado 32 jogos na Ligue 1 em 2004/05.

Conteúdos relacionados