Mourinho e Real preparados para visita do Galatasaray

José Mourinho não espera falta de motivação no Real Madrid, enquanto Fatih Terim quer que o Galatasaray "ultrapasse os seus limites e continue a crescer" mais uma vez.

José Mourinho na conferência de imprensa de antevisão
José Mourinho na conferência de imprensa de antevisão ©Getty Images

O encontro de quarta-feira dos quartos-de-final da UEFA Champions League, entre Real Madrid CF e Galatasaray AŞ, vai possibilitar o renovar de velhas rivalidades: não só José Mourinho e Fatih Terim são velhos amigos, como o treinador do Real também já desfrutou de sucesso considerável com jogadores que agora estão na formação da Turquia. Enquanto Mourinho não espera que falte motivação à sua equipa, Terim apela ao Galatasaray para "ultrapassar os seus limites" mais uma vez.

Real
José Mourinho, treinador
O importante é marcarmos os golos necessários para ganhar este jogo, e não quem os vai marcar. Quando se tem grandes jogadores espera-se sempre grandes coisas deles. Se recordarem o jogo com o United, o [Gonzalo] Higuaín não marcou mas realizou um grande jogo, e isso é que é importante, o facto de os jogadores darem o melhor em prol da equipa.

Temos objectivos para amanhã, mas o adversário também. Eu quero ganhar. O adversário também. [Wesley] Sneijder e [Didier] Drogba foram importantes para mim no passado, mas amanhã serão meus amigos, e não jogadores sob o meu comando. Drogba foi um grande jogador para mim, um grande amigo e alguém que vou recordar sempre com carinho. Criámos laços sentimentais que vão para além do futebol.

O Galatasaray tem um grande treinador, com experiência a este nível, por isso sente-se confortável. Não tem medo de jogar aqui. Possui jogadores que alinharam nas melhores equipas do Mundo, jogadores que sabem manter a calma quando alinham nos quartos-de-final desta competição. Drogba, Sneijder e Burak [Yılmaz] podiam representar qualquer equipa do Mundo.

Não há motivação maior do que chegar às meias-finais; superior a isso, só quando se trata da final. Conhecemos a história do Real nesta prova. Também sabemos que, recentemente, o Real não tem tido muito sucesso. Não acho que a minha equipa esteja melhor [ou pior] que na época passada. Existiam poucas coisas que podíamos ter melhorado após sermos eliminados nas meias-finais da edição anterior. Não temos jogadores lesionados, todos estão aptos.

Não gosto de falar em favoritos nesta fase do torneio. Quando cheguei a esta fase com Porto e Inter, não éramos favoritos e mesmo assim conquistámos o troféu. Ao serviço do Real, já estive nesta fase e não fui campeão. Por esses motivos é que tenho dificuldades em falar sobre favoritismo.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: Real Zaragoza 1-1 Real Madrid CF (Rodri 6; Ronaldo 38)
Diego López; Arbeloa (Özil 60), Pepe, Sergio Ramos, Marcelo; Essien, Modrić, Callejón (Di María 60), Kaká (Khedira 60), Ronaldo; Higuaín.

• O Real continua no segundo lugar do campeonato espanhol – a 13 pontos do FC Barcelona – após não ter conseguido ganhar pela primeira vez nos últimos sete jogos na Liga espanhola.

Notícias da equipa
Raphaël Varane (costas) e Fábio Coentrão (problemas musculares) não jogaram no fim-de-semana. Iker Casillas ainda não voltou às opções de Mourinho, apesar de já ter recebido alta médica, depois de ter fracturado o polegar em Janeiro.

Galatasaray
Fatih Terim, treinador
Quando se realizou o sorteio, calhou-nos uma equipa cujo objectivo é ganhar o troféu. O Real tem alguns dos jogadores mais importantes, e talvez o melhor treinador, do Mundo. O nosso desejo é continuar a trabalhar e ganhar o respeito dos adversários. Sabemos muito bem quem vamos enfrentar, mas na Champions League já provámos a nossa força e crença.

Vamos assistir a um grande jogo, independentemente do resultado. Não estamos preocupados; vamos dar o nosso melhor. Espero que consigamos realizar dois grandes jogos. O Real, em casa, é muito eficaz. Alcançou muito sucesso neste estádio. Tem um dos jogadores mais perigosos e fortes do Mundo: Ronaldo.

Calhou-nos o adversário mais difícil possível. No entanto, isto não é uma desculpa. Se fosse o treinador de qualquer uma das outras equipas em prova, também gostaria de defrontar o Galatasaray. Ainda assim, devemos analisar o que a nossa equipa tem feito nesta competição até ao momento.

Confio na minha equipa e nos meus jogadores. Ultrapassámos um grupo que continha Manchester United e depois eliminámos o Schalke, por isso lutámos muito e vamos continuar a fazê-lo. Sabemos do que somos capazes.

Pensamos naquilo que podemos fazer contra o Real. Vamos correr, e tentar praticar um futebol ofensivo. O Real joga da mesma forma em casa ou fora - podemos definir isso como o estilo do Real Madrid - e ambos os jogos vão ser difíceis.

Nunca desistimos antes de um jogo, e alcançámos objectivos significativos com essa atitude. Queremos regressar a Istambul em vantagem. Este tipo de jogos estão abertos a todas as possibilidades. Se perdermos, não será uma surpresa, mas se ganharmos, aí sim, já será.

Vamos jogar com a intenção de ir até aos limites. Nunca disse aos meus jogadores que um golo é suficiente. Peço-lhes sempre para ultrapassarem os seus limites, para continuarem a crescer. Eliminámos equipas importantes. Os nossos jogadores já saborearam a vitória. Sabem o que é preciso para chegarem à próxima fase, mas se ficarmos pelo caminho, então será frente a um adversário de prestígio.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: Galatasaray 2-0 İstanbul BB SK (Burak 23 35)
Muslera; Eboué, Nounkeu, Semih Kaya, Balta (Amrabat 84); Hamit Altıntop, Felipe Melo (Sabri Sarıoğlu 78), Selçuk İnan; Sneijder (Riera 60); Burak, Drogba.

• Dois golos de Burak Yılmaz – que elevaram a sua conta para 13 nos últimos 11 jogos, ao serviço de clube e selecção – valeram os pontos ao líder da Super Liga turca, no regresso de Terim ao banco de suplentes, após cumprir três jogos de castigo a nível interno.

Notícias da equipa
Engin Baytar e Aydın Yılmaz não viajaram até Espanha, mas Johan Elmander faz parte da convocatória, à medida que o avançado acelera a recuperação de um problema num pé que o deixou ausente dos relvados desde o início de Fevereiro.

Facto
Esta eliminatória tem tudo a ver com o número 24. O Real ambiciona a 24ª presença nas meias-finais da principal competição europeia, um recorde, enquanto passaram 24 anos desde que o Galatasaray chegou às meias-finais da Taça dos Clubes Campeões Europeus.

Conteúdos relacionados