Dortmund nas “meias” após jogo emocionante

Borussia Dortmund 3-2 Málaga CF (total: 3-2)
Marco Reus e Felipe Santana construíram a reviravolta e anularam a vantagem do Málaga já nos descontos.

Robert Lewandowski (à esquerda) e Marco Reus marcaram um golo cada
Robert Lewandowski (à esquerda) e Marco Reus marcaram um golo cada ©AFP/Getty Images

Num jogo emocionante e decidido com dois golos em um minuto já no período de descontos, o Borussia Dortmund qualificou-se para as meias-finais da UEFA Champions League, com o Málaga CF a cair de pé depois de uma carreira de sonho na prova.

Numa primeira parte que só aqueceu depois do golo inaugural, o Dortmund esteve surpreendentemente apático, deixando-se enredar pela teia do Málaga. Apostando nas compensações, os espanhóis controlaram o meio-campo alemão e procuravam sair para o contra-ataque. Aos 11 minutos, Robert Lewandoski deu o primeiro sinal de perigo numa tentativa de chapéu a Willy Caballero que saiu muito comprido.

O Málaga, numa jogada em que intervieram os três homens mais avançados, fez o golo: Júlio Baptista serviu Isco na meia-lua, com este a deixar para Joaquín, após driblar a defesa contrária, rematar rasteiro de fora da área e bater Roman Weidenfeller.

O empate surgiu 15 minutos depois, numa perda de bola de Vitorino Antunes que Mario Götze transformou em contra-ataque e Marco Reus, de calcanhar, assistiu magistralmente para Lewandoski bater Willy pela primeira vez.

A terminar a primeira parte, Joaquín voltou a estar em foco, ao surgir solto na área a cabecear uma bola que Duda lhe endossou na cobrança de um livre directo. Desta vez, Weidenfeller correspondeu bem, segurando o remate do espanhol.

Do intervalo, o Dortmund trouxe uma nova atitude e o jogo ganhou com isso, com ambos os guarda-redes a serem obrigados a trabalho difícil para deter as iniciativas adversárias. Finalmente via-se futebol de ataque no relvado de Dortmund.

A meio da segunda parte, Manuel Pellegrini trocou Duda por Eliseu e mostrou que se preparava para discutir o jogo até final. Aos 76 minutos, Łukasz Piszczek teve o segundo golo à sua mercê, mas Willy, com os pés, desviou para canto. O guarda-redes espanhol operou novo milagre três minutos depois quando Götze surgiu a rematar a curta distância, desviando novamente com os pés para canto.

Aos 82, Isco serviu Júlio Baptista que, já na área, tocou para Eliseu à saída de Weidenfeller, com este a atirar para a baliza deserta e a acentuar a surpresa no BVB Stadium.

Sem margem para outra coisa que não fosse marcar dois golos para poder passar, o Dortmund lançou-se novamente no ataque e depois de Reus fazer a bola passar perto do travessão num livre directo, o mesmo jogador restabeleceu o empate aos 91 minutos. Logo a seguir, Felipe Santana, numa jogada confusa, completou a reviravolta em cima da linha de golo.