Barça desfalcado mas pronto para o PSG

Apesar da onda de lesões que afecta o Barcelona, Jordi Roura acredita que a equipa vai ultrapassar o PSG, cujo treinador Carlo Ancelotti diz que "vai tentar aproveitar ao máximo as oportunidades."

Jordi Roura, treinador-adjunto do Barcelona, fala aos jornalistas
Jordi Roura, treinador-adjunto do Barcelona, fala aos jornalistas ©Getty Images

Satisfeito com o empate 2-2 alcançado no jogo da primeira mão, há uma semana, em Paris, o treinador-adjunto do FC Barcelona, Jordi Roura, acredita que a turma "blaugrana" tem capacidade mais do que suficiente para não se deixar importunar com as lesões que a afectam e seguir em frente para a sua sexta presença consecutiva em meias-finais, deixando pelo caminho o Paris Saint-Germain FC.  

Se Lionel Messi, Pedro Rodríguez e Adriano vão ainda realizar derradeiros testes para saberem se estarão aptos a alinhar, o duo defensivo composto por Carles Puyol e Javier Mascherano ficará irremediavelmente de fora, pelo que a profundidade do plantel do Barça irá ser testada ao limite, mas Roura assegura que "os jogadores que alinharem de início oferecem garantias de uma actuação ao mais alto nível". Já o treinador dos visitantes, Carlo Ancelotti, salienta que a sua equipa necessitará de "confiança e carácter" para conseguir surpreender em Camp Nou.

Barcelona
Jordi Roura, treinador-adjunto
Temos de esperar até esta noite ou mesmo até amanhã para sabermos se Messi, Pedro Rodríguez e Adriano estão recuperados. As indicações são, para já, positivas, mas temos de esperar pelas sessões de treino para termos certeza da sua disponibilidade. Se eles jogarem é porque estão em condições. Temos de ser pacientes e esperar pelos testes médicos, vitais para a decisão final. Prefiro, para já, não arriscar qualquer previsão.

Se Messi não jogar, vamos naturalmente sentir a ausência do melhor jogador do Mundo e isso constituirá, claro, um problema para nós, mas o futebolista que actuar no seu lugar vai, certamente, estar à altura e dar tudo para que vençamos o jogo. A melhor forma de abordar esta eliminatória era realizar uma grande exibição na primeira mão e estamos satisfeitos com o que fizemos em Paris. Se não pudermos contar com Messi, os seus substitutos oferecem-nos todas as garantias e vão actuar ao mais alto nível.

Penso que cada jogo é um jogo e que dois embates entre as mesmas equipas nunca são iguais. Estou feliz com o resultado de 2-2 obtido em Paris. Temos de encarar o encontro de quarta-feira como uma final, disputar cada lance com intensidade e jogar para ganhar, como sempre fazemos. Vamos procurar a vitória desde o apito inicial.

Não creio que o PSG vá alterar o seu estilo de jogo. Conhecemo-los na perfeição e sabemos o quanto são perigosos no contra-ataque. Estamos habituados a este tipo de jogos e a defrontar grandes equipas e isso não afectará a nossa abordagem à partida. Temos de vencer este jogo, pois assim garantiremos a presença nas meias-finais, que será a nossa sexta consecutiva nessa fase da competição.

Em certos jogos tem-nos faltado sorte nos últimos minutos. Temos consciência disso e temos procurado encontrar soluções. Esta temporada tivemos muitos problemas com lesões no sector defensivo, mas temos de ter capacidade para ultrapassar esses contratempos. Esperamos que esta terça-feira sejamos capazes de encontrar essas soluções.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: Barcelona 5-0 RCD Mallorca (Fàbregas 20 37 45, Alexis 22 38)
Pinto; Alves, Piqué (Abidal 70), Bartra, Montoya; Thiago Alcántara, Song, Iniesta (Dos Santos 51), Sánchez, Tello; Fàbregas (Deulofeu 65).

• Cesc Fàbregas assinou o seu primeiro "hat-trick" como jogador profissional e tornou-se também no primeiro espanhol a assinar um "hat-trick" com a camisola do Barcelona na Liga espanhola desde Luis Enrique, em 2001. A formação catalã perdeu apenas um dos 24 jogos que disputou em casa esta época, nos quais somou ainda três empates.

Notícias da equipa
A cumprir castigo neste encontro da segunda mão, Javier Mascherano vai ficar afastado dos relvados até Maio devido a uma lesão nos ligamentos de um joelho. Carles Puyol (joelho), também vai falhar este jogo, enquanto Messi (coxa), Pedro Rodríguez (gémeos) e Adriano (coxa) vão ser submetidos a testes mais perto da hora do encontro para aferir a sua condição física, depois de terem falhado o jogo de sábado, no qual Éric Abidal alinhou pela primeira vez desde que foi submetido a um transplante de fígado, a 10 de Abril de 2012.

PSG
Carlo Ancelotti, treinador
Teremos mais hipóteses se Messi não jogar, mas isso não irá afectar a nossa estratégia. Temos de ter confiança para podermos jogar de igual para igual com uma das melhores equipas do Mundo. Necessitamos, pois, de entrar em campo confiantes e mostrar carácter. Não podemos pensar nos erros que cometemos na primeira mão, mas sim naquilo que fizemos de positivo.

Não estou preocupado. O PSG está feliz por estar aqui, porque esta vai ser uma noite fantástica. Todos têm consciência de que não temos muitas possibilidades de seguir em frente, mas temos algumas. Temos, acima de tudo, de mostrar que somos capazes de jogar bem diante de uma equipa fantástica como a do Barcelona.

Vamos manter-nos fiéis ao nosso estilo. Vamos tentar mostrar a nossa qualidade habitual no ataque, ser sólidos na defesa e dar tudo o que temos. Nada vai mudar no PSG, mesmo que não consigamos estar nas meias-finais; o nosso futuro será fantástico tanto se ganharmos como se perdermos. Se não vencermos esta temporada, vamos tentar ganhar na próxima. É importante para nós termos aqui adeptos nossos a assistir a este jogo. Eles estão aqui para nos ajudarem e isso é muito positivo. Vamos dar o nosso melhor por todos os que fazem parte do PSG.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: Stade Rennais FC 0-2 PSG (Ménez 56, Ibrahimović 90+3)
Sirigu; Van der Wiel, Camara, Sakho, Maxwell; Chantôme, Verratti (Beckham 46), Matuidi, Ménez (Pastore 77); Ibrahimović, Gameiro (Lavezzi 66).

• Zlatan Ibrahimović apontou o seu oitavo golo em oito jogos numa partida em que o PSG somou a sua primeira vitória em 11 visitas ao terreno do Rennes. Jérémy Ménez, que não marcava há dez jogos pelo seu clube ou selecção, inaugurou o marcador na sequência de um grande lance individual.

Notícias da equipa
A maior dúvida prende-se com Thiago Motta, o mais natural substituto do castigado Blaise Matuidi, que contudo disputou apenas um jogo desde Janeiro, devido a problemas na virilha. Alex (coxa) e Thiago Silva (joelho) devem estar disponíveis depois de terem sido poupados no encontro de sábado.

Estatística
Quatro vezes vencedor da prova, o Barcelona procura chegar às meias-finais pela sexta vez consecutiva e não perde em casa há 20 jogos na UEFA Champions League, tendo ganho 16, desde a derrota por 2-1 ante o FC Rubin Kazan, a 20 de Outubro de 2009.