Málaga histórico fasta Porto

Málaga CF 2-0 FC Porto (total: 2-1)
Os golos de Isco e Roque Santa Cruz anularam a magra vantagem do Porto e qualificaram o Málaga para os quartos-de-final.

Málaga histórico fasta Porto
Málaga histórico fasta Porto ©UEFA.com

O Málaga CF continua a fazer história na época de estreia na UEFA Champions League, qualificando-se para os quartos-de-final à custa do FC Porto, o qual derrotou com dois golos sem resposta.  

O ímpeto ofensivo do Málaga foi bem contrariado pela pressão alta do Porto no arranque da partida, numa tentativa de rapidamente recuperar a bola e chegar ao golo primeiro que os espanhóis. Danilo, aos nove minutos, teve o primeiro lance passível de golo, depois de uma assistência de Silvestre Varela, mas o remate do brasileiro saiu sobre a barra.

Com o avançar do jogo, o Málaga foi ganhando a luta a meio-campo, mas as suas investidas acabavam, invariavelmente, travadas pela defesa em linha dos "dragões", pelo que a solução para criar perigo para Helton passou para as bolas paradas: aos 35 minutos Javier Saviola bateu um canto da direita, a defesa portista aliviou mal surgindo Antunes – o único dos três portugueses do Málaga convocado por Manuel Pellegrini - a rematar com muita força para um desvio vistoso de Helton para fora.

Cinco minutos depois, Saviola introduziu a bola na baliza portista mas Nicola Rizzoli anulou o lance por falta de Júlio Baptista sobre o guarda-redes. Não esmoreceu o Málaga que, pressionando muito os portistas, teve em Manuel Iturra (43) a visão para servir Isco que, com um remate de fora da área, bateu Helton, anulando a magra vantagem do Porto na eliminatória.

Do intervalo, o Porto voltou sem João Moutinho e com James Rodríguez no "onze" mas, volvidos quatro minutos sobre o recomeço, o segundo cartão amarelo visto por Steven Defour complicou a vida aos portistas na missão de tentar recolocar-se na frente da eliminatória. O Málaga, de pronto, tentou aproveitar-se disso e Saviola (58) e Isco (59 e 62) dispuseram de boas ocasiões para ampliar a vantagem.

Vítor Pereira introduziu Christian Atsu para dar mais velocidade às transições, respondendo Pellegrini com a troca de Júlio Baptista por Roque Santa Cruz. James Rodríguez, na cobrança de um livre (74), fez aparecer Jackson Martínez no jogo, mas o desvio do artilheiro colombiano falhou o alvo, na primeira grande ocasião dos portistas.

A aposta de Pellegrini revelou-se acertada aos 77 minutos: Roque Santa Cruz saltou mais alto que a defesa portista e fez o 2-0 após um pontapé de canto. Aos 80 minutos Maicon, em fora de jogo, viu um golo ser-lhe anulado pelo árbitro, num lance que marcou a reacção do Porto, decisão que repetiu aos 89 numa conclusão de Jackson Martínez.

Conteúdos relacionados