Vitória insuficiente para Arsenal em Munique

FC Bayern 0-2 Arsenal FC (total: 3-3, Bayern apurado devido aos golos fora)
Os líderes da Bundesliga estão nos quartos-de-final, apesar de se terem visto derrotados em Munique.

Laurent Koscielny cabeceia para o segundo golo do Arsenal
Laurent Koscielny cabeceia para o segundo golo do Arsenal ©Getty Images

O FC Bayern München está nos quartos-de-final da UEFA Champions League pela quarta vez em cinco épocas, apesar de se ter visto derrotado por 2-0, em casa, pelo Arsenal FC.

Um golo madrugador de Olivier Giroud mostrou que a noite não iria ser tão tranquila como a formação bávara esperava, mas os pupilos de Jupp Heynckes raramente pareceram em perigo de deixar fugir a vantagem de 3-1 que traziam do jogo da primeira mão, até ao momento em que Laurent Koscielny, de cabeça, já perto do final da partida, fez o 2-0 e lançou o encontro para uns instantes finais de muitos nervos. Os "gunners", contudo, não conseguiram chegar ao terceiro golo, pelo que será mesmo o Bayern a marcar presença no sorteio de sexta-feira, graças aos golos marcados em Londres.

Com a sua equipa a precisar de, no mínimo, três golos, Arsène Wenger tinha destacado a importância de o Arsenal marcar cedo. E, para contentamento do técnico francês, a defesa do Bayern abriu uma brecha logo aos três minutos. Theo Walcott ganhou espaço na direita e cruzou para o centro da área, onde Giroud surgiu a fazer o 1-0.

Porém, depois de no fim-de-semana ter recuperado de duas desvantagens no marcador para levar de vencida o Fortuna Düsseldorf, em jogo da Bundesliga, o Bayern soube manter a calma e assumiu por completo o controlo da posse de bola. Toni Kroos, por duas vezes, obrigou o guarda-redes forasteiro, Łukasz Fabiański, a aplicar-se com remates à entrada da área e, pelo meio, um disparo de primeira de Luiz Gustavo passou a rasar a trave.

Depois foi a vez de Arjen Robben rematar ao lado, antes de Thomas Müller enviar a bola às malhas laterais. O Arsenal tentou responder e um desentendimento entre Manuel Neuer e David Alaba quase permitiu a Walcott fazer o 2-0, mas os adeptos da casa permaneciam tranquilos à saída para o intervalo, apesar de a sua equipa se encontrar em desvantagem no marcador.

Novos remates de Robben e Kroos mostraram que o Bayern regressava para o segundo tempo apostado em manter o domínio do encontro, mas um lapso de concentração era tudo o que o Arsenal necessitava para voltar em definitivo à discussão da eliminatória. Giroud deixou o aviso com um perigoso remate de primeira de pé esquerdo que errou o alvo por pouco, na sequência de um contra-ataque.

Ainda assim, o Bayern continuou a pressionar. Robben e Müller, sempre muito activos nos dois flancos, desferiram vários cruzamentos perigosos que ninguém soube aproveitar e os dois jogadores combinaram mesmo de forma brilhante à passagem do minuto 68. Com um toque espectacular, Müller desmarcou Robben, mas o extremo holandês viu o seu remate defendido por Fabiański.

Heynckes lançou Mario Gomez em campo, na tentativa de acabar de uma vez por todas com a discussão da eliminatória, só que acabou por ser outro homem vindo do banco, Gervinho, a criar muito perigo na outra área após deixar para trás o seu adversário directo. Koscielny deu, depois, de cabeça, o melhor seguimento a um pontapé de canto cobrado por Santi Cazorla, igualando a eliminatória a três golos, com quatro minutos para jogar, mas o Bayern acabou por segurar o apuramento graças aos golos fora.