PSG sobrevive ao ímpeto do Valência

Paris Saint-Germain FC 1-1 Valencia CF (total: 3-2)
Ezequiel Lavezzi anulou o golo inicial de Jonas e confirmou a presença do PSG nos quartos-de-final pela primeira vez em 18 anos.

Ezequiel Lavezzi após marcar o golo do empate do PSG
Ezequiel Lavezzi após marcar o golo do empate do PSG ©Getty Images

O Paris Saint-Germain FC apurou-se para os quartos-de-final da UEFA Champions League após empatar 1-1 na recepção ao Valencia CF, em partida da segunda mão dos oitavos-de-final realizada no Parc des Princes, depois de um triunfo em solo espanhol por 2-1.

Problemas físicos deixaram o português Ricardo Costa de fora do encontro da capital francesa, enquanto o compatriota João Pereira não saiu do banco de suplentes, numa partida em também não participaram o também defesa-central valenciano Adil Rami, autor do golo da equipa em Espanha, e o dianteiro parisiense Zlatan Ibrahimović, este por ter sido expulso na partida da primeira mão.

A necessitar de vencer no terreno do adversário pelo menos por dois golos, o Valência procurou marcar desde o apito inicial, ao passo que, ciente dessa contingência, o PSG apostou numa estratégia de contenção, defendendo bem próximo da sua área. Contudo, por mais que porfiassem, os valencianos nunca conseguiram obrigar o guarda-redes Salvatore Sirigù a trabalho apurado. A sua intervenção mais complicada aconteceu aos 15 minutos, detendo um remate rasteiro de Roberto Soldado, após boa combinação deste com Jonas.

David Albelda a meio da primeira parte e Jonas, este após uma recuperação de bola de Antonio Barragán, que rendeu João Pereira no lado direito da defesa, assim como Tino Costa ainda tentaram importunar Sirigu, mas os remates saíram todos ao lado, ao passo que, do outro lado, o máximo que os parisienses conseguiram até então fora um remate de Javier Pastore bloqueado por um defesa valenciano.

O Valência regressou das cabinas para a segunda parte já com Éver Banega em campo e conseguiu o golo que relançou a eliminatória aos 54 minutos. Tino Costa ganhou um ressalto à entrada da área e a bola sobrou para um remate forte de Jonas, que colocou a bola a meia-altura, junto ao poste direito.

O PSG demorou 11 minutos a empatar, na sequência de um lance fortuito. Kévin Gameiro, com alguma sorte à mistura ao beneficiar de dois ressaltos, ultrapassou três defesas e a bola sobrou para Ezequiel Lavezzi, que ficou isolado perante Vicente Guaita e rematou para uma primeira defesa deste com os pés, marcando somente na recarga.

O conjunto "ché" continuou a carregar à procura do tento que lhe desse a igualdade na eliminatória, ao passo que o PSG defendeu estoicamente a magra vantagem, com Carlo Ancelotti inclusivamente a fazer entrar o defesa-central Mamadou Sakho para o lugar do dianteiro Lucas Moura. Os parisienses foram mais bem sucedidos do que o adversário e lograram o apuramento para os quartos-de-final da principal prova de clubes da UEFA pela primeira vez em 18 anos, desde 1995.