Ronaldo decisivo no apuramento do Real

Manchester United FC 1-2 Real Madrid CF (total: 2-3)
No regresso a Old Trafford, Cristiano Ronaldo resolveu a eliminatória a favor do Real Madrid, após Luka Modrić empatar depois da expulsão de Nani.

Cristiano Ronaldo festeja com comedimento o golo do Real Madrid
Cristiano Ronaldo festeja com comedimento o golo do Real Madrid ©Getty Images

O Real Madrid CF apurou-se para os quartos-de-final da UEFA Champions League, ao derrotar o Manchester United FC, por 2-1, com Cristiano Ronaldo a apontar o golo da vitória em Old Trafford, palco que conheceu bem das seis temporadas que passou no clube inglês.

Os comandados de José Mourinho fizeram o primeiro remate à baliza, com Higuaín em posição frontal, mas a bola saiu ligeiramente ao lado. A resposta veio de Robin van Persie, que, todavia, permitiu o desarme de Sergio Ramos e, aos 20 minutos, o United dispôs de uma excelente ocasião para abrir o activo, com Nemanja Vidić a cabecear ao poste na sequência de um pontapé de canto.

O Real Madrid ripostou através de um futebol mais direito, com passes longos para Cristiano Ronaldo e Higuaín, tendo o argentino obrigado David de Gea a uma defesa segura. E, no lance seguinte, os dois dianteiros do United ficaram perto do golo, com, primeiro, Robin van Persie a obrigar Diego López a uma boa defesa e, na recarga, Danny Welbeck a proporcionar nova excelente intervenção do guarda-redes, que sacudiu a bola sobre a trave.

Ainda antes do intervalo, Ángel Di María teve de ser substituído por Kaká devido a lesão e, no primeiro lance digno de perigo da segunda parte, o Manchester United adiantou-se no marcador, com Sergio Ramos a desviar para as próprias redes, após recuperação de Nani junto à linha de fundo, seguido de cruzamento para Welbeck.

No entanto, a partida mudaria substancialmente aos 56 minutos, devido à expulsão de Nani na sequência de um lance aparatoso com Álvaro Arbeloa. Sete minutos depois, o Real Madrid chegou ao empate, com Luka Modrić, que rendera Arbeloa após a expulsão de Nani, a rematar à entrada da área, fazendo a bola embater no poste esquerdo antes de entrar.

Três minutos depois, o Real Madrid deu a volta ao marcador, com Ronaldo a marcar à ex-equipa no seu regresso a Old Trafford, desviando em esforço à boca da baliza um cruzamento rasteiro de Higuaín após combinação no flanco oposto com Mesut Özil.

A jogar com dez elementos e em desvantagem, Ferguson fez finalmente entrar Wayne Rooney, ao passo que Mourinho respondia com o lançamento de Pepe em campo, visando conter o previsível esforço de recuperação dos "red devils". O conjunto inglês fez uma pressão final bastante forte e somente duas intervenções de grande nível de Diego López impediram os anfitriões de chegar à igualdade. Primeiro, defendeu por instinto um cabeceamento de Michael Carrick e, na sequência de um canto e, já em período de descontos, negou um cabeceamento vitorioso de Vidić.

Ronaldo ainda ficou perto de marcar através de um remate traiçoeiro defendido junto à trave por De Gea, que antes vira Kaká acertar no poste, lances que não impediram Mourinho de voltar a sair vitorioso de Old Trafford.