Dortmund tranquilo elimina Shakhtar

Borussia Dortmund 3-0 FC Shakhtar Donetsk (total: 5-2)
Felipe Santana, Mario Götze  e Jakub Błaszczykowski marcaram os golos que confirmaram o apuramento do Dortmund para os quartos-de-final.

Felipe Santana festeja o seu golo
Felipe Santana festeja o seu golo ©Getty Images

O Borussia Dortmund qualificou-se para os quartos-de-final da UEFA Champions League ao bater o FC Shakhtar Dontesk, num jogo que dominou desde o apito inicial do árbitro e cujos três golos traduziram o seu pragmatismo e castigaram as desconcentrações defensivas do adversário.

Em vantagem na eliminatória depois do empate (2-2) na primeira mão, nem assim o Dortmund deixou de controlar o jogo desde o apito inicial, empurrando os ucranianos para o seu meio-campo. Aos 12 minutos, uma combinação entre Mario Götze e Robert Lewandowski só não surtiu em golo devido ao arrojo de Andriy Pyatov a sair dos postes. Na outra área, Luiz Adriano ficou a centímetros do golo ao não chegar a tempo a um cruzamento tenso da esquerda de Răzvan Raţ.

Anunciava-se o golo inaugural, que acabou por surgir aos 30 minutos, num pontapé de canto de Götze que a cabeçada fulgurante de Felipe Santana - nas costas de Yaroslav Rakitskiy - transformou em vantagem para os alemães. Seis minutos depois, numa desatenção colectiva do FC Shakhtar, Marco Reus serviu Lewandowski que, na direita, cruzou para a entrada de Götze a desviar a bola para a baliza.

Até final da primeira parte, destaque ainda para uma iniciativa de Lewandowski apenas travada pelo corpo de Tomáš Hübschman (41 minutos), respondendo Fernandinho, já nos descontos, com um remate traiçoeiro que obrigou Roman Weidenfeller a um desvio para canto.

A segunda parte trouxe um Shakhtar mais rápido nas transições e com o recém-entrado Douglas Costa a mostrar aos 47 minutos porque foi suplente utilizado com um remate cruzado que saiu muito perto do poste direito. Aos 60 minutos, o Dortmund matou o jogo com Jakub Błaszczykowski a combinar com İlkay Gündoğan, que remata para defesa incompleta de Pyatov e conclusão do internacional polaco, depois de contornar o guarda-redes. Acabava aqui a chance, remota, de se repetir o filme da primeira mão e tudo ter de seguir para prolongamento.

Götze, aos 63 minutos, atirou por alto apenas com Darijo Srna, e aos 74 foi a vez do recém-entrado Kevin Grosskreutz, a passe de Reus, ter o golo nos pés mas, desta vez bem, Pyatov, desviou para canto. Com tudo decidido, a defesa ucraniana aligeirou as marcações e quem quase aproveitou foi Reus (80) numa corrida em slalom desde a lateral direita que terminou à entra da pequena área com um remate torto.

 Rakitskiy (77) e Fernandinho (82) viram Weidenfeller negar-lhes, com duas defesas vistos, o golo de consolação, despedindo-se da UEFA Champions League sem conseguir beliscar os alemães no seu estádio.