Celtic em busca de milagre em Turim

Um triunfo fora por 3-0 frente ao Celtic deixou a Juventus com um pé nos quartos-de-final e vai agora procurar dar seguimento à invencibilidade de três anos em casa na Europa.

A Juventus fez a festa em Glasgow, na primeira mão
A Juventus fez a festa em Glasgow, na primeira mão ©Getty Images

Se uma vitória por 3-0 fora de portas na primeira mão não constituísse já vantagem suficiente, para o embate da segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League com o Celtic FC, em Turim, a Juventus tem ainda para usar como arma um invejável registo de invencibilidade a jogar em casa, onde não perde há mais de três anos.

• Quando as duas equipas se encontraram na fase de grupos à 11 anos, as coisas foram bem diferentes, com o equilíbrio a ser a nota dominante de dois embates de cortar a respiração. A Juventus venceu por 3-2 em Itália e o Celtic levou, depois, a melhor na Escócia, por 4-3.

• Desta feita o encontro da primeira mão, na Escócia, foi bem mais desequilibrado, com a Juve a ganhar vantagem logo aos três minutos, graças a um golo de Alessandro Matri. Depois, Claudio Marchisio (aos 77 minutos) e Mirko Vučinić (aos 83) colocaram a "vecchia signora" com um pé nos quartos-de-final da prova, onde esta já não chega desde 2005/06, com um 3-0 que iguala a maior derrota caseira da história do Celtic nas provas europeias.

Encontros anteriores
• O treinador do Celtic, Neil Lennon, e o seu adjunto, Johan Mjällby, jogaram em ambas as partidas de 2001. A 18 de Setembro, em Turim, um bis de David Trézéguet (43, 55) deu uma vantagem de dois golos à Juve, mas Stiliyan Petrov reduziu aos 67 minutos e Henrik Larsson parecia ter ganho um ponto quando, a quatro minutos do final, converteu uma grande penalidade. Contudo, no derradeiro minuto, Nicola Amoruso também converteu uma grande penalidade, dando o triunfo aos italianos.

• No jogo da segunda volta, Alessandro Del Piero adiantou a Juventus aos 19 minutos no marcador, mas golos de Joos Valgaeren (24) e Chris Sutton (45) provocaram uma reviravolta no encontro. Trézéguet (51) empatou a contenda, mas, uma vez mais, o Celtic respondeu de forma vigorosa, com nova grande penalidade de Henrik Larsson (57) a restabelecer a vantagem dos escoceses, alargada com o segundo tento de Sutton (64). Trézéguet (77) voltou a marcar, criando um final emotivo, mas o Celtic resistiu.

• Gianluigi Buffon, que foi titular em Turim e suplente em Glasgow, é o único sobrevivente desses dois encontros. Pavel Nedvěd, actual dirigente da Juventus, actuou no Celtic Park.

• No encontro disputado no Delle Alpi, as equipas alinharam da seguinte forma:
Juventus: Buffon, Thuram, Montero, Pessotto (Birindelli 63), Tacchinardi, Iuliano, Davids, Zenoni, Del Piero (Amoruso 87), Trezeguet, Salas (O'Neill 69).
Celtic: Douglas, Valgaeren, Baldé, Mjällby, Lambert, Petrov, Agathe, Lennon, Thompson (Petta 58), Larsson, Sutton.

• As duas equipas também se encontraram na primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1981/82, tendo o Celtic ganho por 1-0 perante o seu público, mas perdido por 2-0 em Turim. O treinador Danny McGrain actuou em Glasgow.

Retrospectiva
• A Juventus – que com o triunfo no jogo da primeira mão, em Glasgow, estendeu para 17 jogos a sua série de invencibilidade nas competições europeias – está nos oitavos-de-final da UEFA Champions League pela décima vez. A última ocasião em que chegou a esta fase da prova foi em 2008/09, quando perdeu, por 1-0, no reduto do Chelsea FC, antes de ter empatado 2-2 em Turim.

• A Juve venceu todos os seis encontros que disputou até à data no seu reduto diante de adversários escoceses, apontando 16 golos e sofrendo apenas três, tendo mesmo terminado quatro desses jogos sem sofrer qualquer golo. No total, o registo da formação de Turim frente a equipas escocesas é de 9V 1E 3D.

• A campanha dos "bianconeri" em casa no Grupo E da presente edição da UEFA Champions League começou com um empate 1-1 frente ao FC Shakhtar Donetsk, antes de triunfos sobre FC Nordsjælland e Chelsea, por 4-0 e 3-0, respectivamente. Fora de portas, a Juve empatou no terreno do Chelsea (2-2) e na Dinamarca (1-1), somando depois, na sexta e última jornada, um triunfo por 1-0 que lhe permitiu terminar no primeiro posto do seu grupo.

• A Juve não perde nas competições europeias desde 18 de Março de 2010, quando soçobrou no reduto do Fulham FC por 4-1 na segunda mão dos oitavos-de-final, tendo perdido a eliminatória por um total de 5-4. Nos 17 encontros que se seguiram somou oito vitórias e nove empates.

• A Juventus venceu os seus últimos quatro jogos europeus sem sofrer golos em nenhum deles.

• Em casa, nas provas de clubes da UEFA, os actuais campeões italianos perderam apenas um dos últimos 29 jogos que disputaram, incluindo pré-eliminatórias. Essa derrota ocorreu a 8 de Dezembro de 2009, quando o FC Bayern München foi a Turim vencer por 4-1 na fase de grupos da UEFA Champions League.

• A Juve venceu as 34 eliminatórias das competições europeias de clubes em que venceu o encontro da primeira mão fora de portas, entre elas vitórias por 3-0 na primeira mão sobre o AC Omonia, na primeira eliminatória da Taça dos Campeões Europeus de 1977/78 (2-0 na segunda mão) e sobre o PFC CSKA Sofia, na primeira eliminatória da Taça UEFA de 1994/95 (5-1 na segunda mão). Frente ao CSKA a Juve perdeu a primeira mão por 3-2 mas venceu acabou por vencer o jogo por 3-0 já que o seu adversário utilizou um jogador de forma irregular. 

• Efectivamente, apenas por duas ocasiões a Juventus perdeu o jogo da segunda mão em casa depois de vencer fora no primeiro jogo. Tal sucedeu diante do Hamburger SV, nos quartos-de-final da Taça UEFA de 1989/90 (0-2 na segunda mão, 3-2 no conjunto das duas mãos) e Olympiacos FC, na terceira eliminatória da Taça UEFA de 1999/2000 (1-2 na segunda mão, 4-3 no total da eliminatória).

• Em seis desempates de eliminatórias europeias por pontapés da marca de grande penalidade, a Juventus venceu três e perdeu outros tantos:
2-3 - AC Milan, 2002/03, final da UEFA Champions League
4-2 - Ajax, 1995/96, final da UEFA Champions League
1-3 - Real Madrid CF, 1986/87, segunda eliminatória da Taça dos Campeões Europeus
4-2 - Argentinos Juniors, 1987, final da Taça Intercontinental
1-4 - Widzew Łódź, 1980/81, segunda eliminatória da Taça UEFA
3-0 - AFC Ajax, 1977/78, quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus

• O Celtic, nos oitavos-de-final da UEFA Champions League pela primeira vez em cinco temporadas, não conseguiu vencer em nenhuma das suas anteriores nove visitas a Itália. Ao todo, em 20 jogos frente a oponentes italianos, a turma escocesa registou 5V 7E 8D (0V 3E 6D em Itália). O mais memorável dos embates com uma equipa italiana foi precisamente o primeiro, no qual o Celtic bateu o FC Internazionale Milano por 2-1 na final da Taça dos Campeões Europeus de 1966/67, em Lisboa, no Estádio do Jamor, tornando-se no primeiro clube britânico a erguer um troféu europeu.

• Na fase de grupos da passada edição da UEFA Europa League, o Celtic empatou em casa e fora com a Udinese Calcio pelo mesmo resultado de 1-1.

• O Celtic venceu por 2-0 os dois jogos que disputou fora nas pré-eliminatórias da presente edição da prova, batendo HJK Helsinki e Helsingborgs IF. Na fase de grupos venceu por 3-2 em casa do FC Spartak Moskva, naquela que foi a sua primeira vitória fora em 21 jogos na UEFA Champions League (excluindo pré-eliminatórias), perdendo por 2-1 nas visitas aos terrenos de FC Barcelona e SL Benfica. Em casa, antes da derrota com a Juve, a turma de Glasgow tinha vencido quatro dos últimos cinco encontros disputados, empatando o outro com o Benfica.

• O Celtic está pela terceira vez nos oitavos-de-final da UEFA Champions League e nunca conseguiu passar aos quartos-de-final desde que a UEFA Champions League adoptou o seu formato actual. Em 2006/07, empatou 0-0 na recepção ao Milan e perdeu, em Itália, por 1-0, no prolongamento. Na época seguinte, os escoceses foram derrotados por 3-2 na recepção ao Barcelona e por 1-0 na Catalunha.

• Essa derrota diante do Barcelona representa uma das seis ocasiões em que o Celtic perdeu em casa o jogo da primeira mão de uma eliminatória europeia; acabou eliminado em cinco delas. A única excepção teve lugar na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2009/10, quando deu a volta a uma derrota por 1-0 em Glasgow frente ao FC Dinamo Moskva com um triunfo por 2-0 em Moscovo, no segundo jogo.

• O registo do Celtic em desempates de eliminatórias europeias por penalties é o seguinte:
4-3 - FC Spartak Moskva, 2007/08, terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League
4-5 - Valencia CF, 2001/02, terceira eliminatória da Taça UEFA
4-5 - FC Internazionale Milano, 1971/72, meias-finais da Taça dos Campeões Europeus

Ligações entre as equipas
• Andrea Pirlo defrontou o Celtic em cinco ocasiões pelo Milan, incluindo ambas as mãos da eliminatória dos oitavos-de-final de 2006/07.

• Mauricio Isla jogou no empate da Udinese (1-1) no Celtic Park na época passada, com Kwadwo Asamoah a alinhar pela equipa da Serie A na partida de Udine.

• A Suécia, por quem alinhava Mikael Lustig, acolheu a fase final do Campeonato da Europa de Sub-21 de 2009, tendo perdido, na fase de grupos, por 2-1, frente à Itália, que contou com Claudio Marchisio, Paolo De Ceglie e Sebastian Giovinco nas suas fileiras.

• Giorgio Chiellini apontou, pela Itália, o único golo do encontro particular realizado a 18 de Novembro de 2009, em Cesena, com a Suécia, por quem alinhou Lustig.

• O irmão de Victor Wanyama, MacDonald Mariga, representa o Inter Milão.

• Buffon, Pirlo e Andrea Barzagli fizeram parte da selecção de Itália que derrotou, a 17 de Novembro de 2007, em Glasgow, a Escócia, de Scott Brown, por 2-1, em jogo de apuramento para o UEFA EURO 2008.

• Buffon, Pirlo e Fabio Quagliarella, assim como Brown, haviam alinhado, a 28 de Março de 2007, no triunfo da Itália, por 2-0, sobre a Escócia, na partida da mesma fase de qualificação realizada em solo italiano.