Solidez defensiva premeia United em Madrid

Real Madrid CF 1-1 Manchester United FC
Danny Welbeck deu vantagem aos visitantes, mas Cristiano Ronaldo rapidamente marcou ao seu antigo clube, que teve David de Gea em grande plano.

Sami Khedira, do Real Madrid (à esquerda), em duelo com Shinji Kagawa
Sami Khedira, do Real Madrid (à esquerda), em duelo com Shinji Kagawa ©Getty Images

Golos na primeira parte de Danny Welbeck e Cristiano Ronaldo ditaram um empate no Santiago Bernabéu, que deixa o Manchester United FC numa posição mais vantajosa para o encontro da segunda mão, marcado para 5 de Março, em Old Trafford. Isto perante um Real Madrid CF que encontrou em David de Gea um guarda-redes praticamente intransponível.

José Mourinho voltou a apostar em Raphaël Varane no eixo da defesa, ao lado do capitão Sergio Ramos, no lugar habitualmente ocupado por Pepe, que assim permaneceu no banco. A primeira ocasião de golo pertenceu a um Fábio Coentrão bastante dinâmico na esquerda, que, aos cinco minutos, rematou rasteiro para uma notável defesa de David de Gea, a desviar a bola para o poste.

Duas boas arrancadas de Shinji Kagawa pelo lado esquerdo foram o prenúncio do tento inaugural, que pertenceu ao líder da Premier League. Wayne Rooney cobrou um canto na esquerda e Welbeck antecipou-se nas alturas a Sergio Ramos, batendo Diego López com um cabeceamento colocado ao canto inferior.

O Real Madrid reagiu prontamente e, depois de um forte de remate de Ángel Di María para defesa apertada de De Gea e de um perigoso livre de Cristiano Ronaldo, chegou mesmo ao empate, pelo seu inevitável número 7, que marcou à antiga equipa com um poderoso e colocado cabeceamento na resposta a um cruzamento milimétrico de Di María.

Até ao intervalo, ambas as equipas dispuseram de boas ocasiões para marcar, com Welbeck a obrigar Diego López a uma defesa pouco ortodoxa e, na resposta, Mesut Özil rematou na passada para parada de De Gea.
A segunda parte trouxe duas equipas mais cautelosas, com o United a recuar mais no terreno relativamente ao primeiro tempo, pelo que não espantou que as três primeiras ocasiões de perigo tivessem pertencido aos comandados de Mourinho. Cristiano Ronaldo obrigou De Gea a defesa atenta, e o guardião brilharia com uma aparatosa parada com os pés a remate de Coentrão, após ver um disparo de Di María passar pertíssimo do poste.

Embora mais recuado no terreno, as duas melhores oportunidades do segundo tempo pertenceram ao Manchester United e ambas no mesmo minuto (71) e com o mesmo protagonista: Robin van Persie. Primeiro, disparou forte para defesa de Diego López para a trave e, no lance imediatamente seguinte, surgiu na cara do guardião e rematou enrolado, permitindo a Xabi Alonso interceptar a bola já sobre a linha de golos.

Khedira ainda testou por duas vezes a atenção de De Gea, que brilhou com uma defesa segura a um forte disparo do alemão, mas foi tudo quanto o Real Madrid conseguiria até final, enquanto Van Persie ainda obrigou Diego López a uma notável defesa para canto no derradeiro lance do desafio.