O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Mourinho recorda marcha triunfal do Porto

"Senti-me campeão europeu bem antes de o jogo ter acabado", confessou José Mourinho ao UEFA.com ao recordar a vitória do FC Porto sobre o Mónaco na final de 2003/04.

Mourinho recorda marcha triunfal do Porto
Mourinho recorda marcha triunfal do Porto ©UEFA.com

Vencedor da Taça UEFA na época anterior, o FC Porto deu seguimento a esse sucesso com um triunfo por 3-0 sobre o AS Monaco na final da UEFA Champions League de 2003/04. No entanto, o treinador de então dos "dragões", José Mourinho, contou ao UEFA.com que todo o trabalho de casa fora feito bem antes do ponto alto de Gelsenkirchen.

Tendo-se apurado, juntamente com os "galácticos" do Real Madrid CF na fase de grupos e eliminado o Manchester United FC nos oitavos-de-final, Mourinho disse que a sua equipa acreditava ser possível ganhar o troféu. "Fomos ao Bernabéu e empatámos, regressámos com uma boa sensação", recordou. "Poucos dias depois foi o sorteio – e o Manchester United. Fomos a Manchester e o resto é história: aos 90 minutos, estávamos em desvantagem na eliminatória. Marcámos ao 91º minuto e apurámo-nos nesse instante – e quando nos qualificámos em Old Trafford sentimos que, se podíamos eliminar o Manchester United, então podíamos derrotar qualquer adversário."

O Olympique Lyonnais e o RC Deportivo La Coruña sentiram na pele o poderoso momento de forma do Porto nas rondas seguintes e, apesar do excelente rendimento até então, também o Mónaco sucumbiu aos golos apontados por Carlos Alberto (39), Deco (71) e Dmitri Alenichev (75). "Sentimos que não iríamos falhar", continuou Mourinho. "Ganhámos muito calmamente. Costumo dizer que não festejei como uma final da Champions League, porque não a senti como uma final da Champions League – o jogo foi bastante calmo e controlado. Não me senti campeão europeu após Kim Nielsen, o árbitro, ter apitado pela última vez: senti-me campeão europeu bem antes de o jogo ter acabado."