Goleada não chega ao Chelsea

Chelsea FC 6-1 FC Nordsjælland
O regresso dos "blues" à boa forma chegou tarde, já que se tornou no primeiro detentor do troféu a ser eliminado na fase de grupos.

David Luiz faz de penalty o 1-0
David Luiz faz de penalty o 1-0 ©AFP/Getty Images

Raramente uma vitória convincente pode ser acompanhada de tanta desilusão. Os fiéis adeptos do Chelsea FC podem ter continuado a entoar o seu hino "Campeão da Europa", mas a dura realidade é que a sua defesa do título terminou esta quarta-feira – ou, mais precisamente, na Ucrânia, onde a Juventus garantiu o outro lugar de apuramento no Grupo E.

É a primeira vez, nas suas 11 participações na UEFA Champions League, que a equipa londrina não consegue passar da fase de grupos e, de forma mais decepcionante, é o primeiro campeão a ser afastado tão cedo. Golos de Fernando Torres (dois), David Luiz, Gary Cahill, Juan Mata e Oscar garantiram uma despedida concludente, mas não apaga a sensação de desilusão e arrependimento. Joshua John fez o tento solitário do FC Nordsjælland.

Três penalties conferiram emoção à primeira parte. Desde o início o Chelsea demonstrou a sua determinação em piorar o registo do Nordsjælland na sua campanha de estreia. Os visitantes, sem o defesa Jores Okore, uma das suas principais figuras, sofreram novo revés quando Ivan Runje saiu lesionado, logo nos minutos iniciais.

A vontade de Torres em marcar era óbvia, à medida que procurava espaços vazios. Várias vezes, a sua vontade de fazer depressa e bem funcionou contra si, enquanto a sorte favoreceu Nicolai Stokholm, ao afastar contra a barra da sua baliza um cruzamento de Victor Moses, antes de afastar o perigo. O primeiro penalty aconteceu por mão na bola de Cahill, a remate de Anders Christiansen.

Stokholm aprestou-se a converter o castigo máximo, mas rematou fácil para defesa de Petr Čech. O mesmo aconteceu com Eden Hazard, após o cabeceamento de Cahill ter sido interceptado pelo braço de Mikkel Beckmann, permitindo a defesa a Jesper Hansen.

A desilusão de Hazard durou apenas três minutos, até o toque com a mão de Patrick Mtiliga na bola ter sido detectado pelo árbitro, após uma tentativa de Mata. A responsabilidade coube a Luiz, que não perdoou, com um remate a meia altura.

O primeiro golo de Torres surgiu depois de Moses o ter desmarcado, e apesar de ter beneficiado de um ressalto feliz no guarda-redes, o seu segundo tento viria a ser mais confiante. Tal como o remate de John, que fez o 2-1 no início da etapa complementar, aproveitando um passe longo e picando a bola por cima de Čech.

O Chelsea continuou a ameaçar a cada ataque, com Cahill a concluir de cabeça um livre de Mata, Torres a aproveitar a arrancada de Hazard até à linha-de-fundo, Mata a marcar à segunda tentativa e, por fim, o suplente Oscar a selar o resultado final, perto do fim. Mas a notícia que dava conta do golo da Juventus frente ao FC Shakhtar Donetsk há muito que tinha quebrado a boa disposição em Stamford Bridge.