Mancini fala em "pressão constante" para o City

Roberto Mancini quer que o Manhester City se agarre às ténues esperanças de apuramento frente ao Real Madrid, mas José Mourinho pensa que a campanha do adversário já chegou ao fim.

Roberto Mancini no treino do Manchester City, esta terça-feira
Roberto Mancini no treino do Manchester City, esta terça-feira ©AFP/Getty Images

Com a campanha do Manchester City FC na UEFA Champions League presa por um fio, o treinador Roberto Mancini sente a pressão antes da visita do Real Madrid CF, em jogo do Grupo D. Frente a "uma das melhores equipas do Mundo", Mancini quer que a sua equipa salve o orgulho e estrague uma ocasião memorável para José Mourinho, que vai realizar o 100º jogo na principal competição europeia de clubes.

City
Roberto Mancini, treinador
Talvez retire pressão [o facto de não sermos candidatos ao apuramento], mas quando se é obrigado a ganhar e jogar um jogo importante como este na UEFA Champions League, existe sempre pressão. Não temos muitas hipóteses de seguir em frente, mas é importante realizar uma boa exibição. Este era um grupo difícil desde o início, e neste momento está muito mais difícil, por causa dos erros que cometemos nos dois primeiros jogos.

Quando se defronta o Real Madrid, uma das melhores equipas do Mundo, pretende-se fazer um bom trabalho, e é isso que vamos tentar fazer. Penso que Cristiano Ronaldo é um factor decisivo em qualquer jogo, já que tem sempre um grande impacto. Quem marca um ou dois golos por jogo é um jogador incrível, que precisa de atenção permanente. Mas como é óbvio, existem outros jogadores importantes.

A minha opinião é que o Real Madrid é a melhor equipa do Mundo, juntamente com o Barcelona, e quando os enfrentamos, estamos perante 11 jogadores de topo, e teremos que estar atentos a todos eles. Ronaldo, [Karim] Benzema, [Ángel] Di María, [Mesut] Özil, [Xabi] Alonso – todos podem fazer a diferença. O Real marca três ou quatro golos por jogo, mas o futebol é maravilhoso porque às vezes essas equipas também são derrotadas.

Parabéns ao José, porque já participou em 100 jogos da UEFA Champions League, algo que na sua idade é um feito importante. Mas isto não se trata de um confronto entre Mourinho e Mancini: é entre os jogadores, eles são mais importantes do que nós.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: City 5-0 Aston Villa FC (Silva 43, Agüero 54pen 67, Tévez 65pen 74)

Hart; Maicon, Kompany, Nastasić, Clichy (Kolarov 73); Y Touré, Barry; Silva (Sinclair 76), Nasri; Tévez, Agüero (Džeko 68).

• Esta vitória foi a mais folgada do City em qualquer competição, desde que bateu o Norwich City FC por 6-1 a 14 de Abril.

Notícias da equipa
Mancini não espera que Gaël Clichy esteja disponível, já que o lateral-esquerdo se lesionou no tornozelo frente ao Aston Villa, enquanto Mario Balotelli está em dúvida, devido a um problema nas costas. James Milner e Jack Rodwell debelaram estiramentos na coxa, mas Micah Richards (joelho) é lesionado de longa-data.

Madrid
José Mourinho, treinador
Sempre fiz questão de referir o quanto gostei do tempo que passei aqui e que adoraria voltar. Sei que quando se joga em Inglaterra temos jogos, adversários e uma atmosfera complicados pela frente, porque o público apoio sempre a sua equipa de forma fervorosa. Gosto disso e também penso que os meus jogadores estão felizes por vierem jogar a Inglaterra.

Penso que é normal se uma grande equipa não ganhar a competição, porque existem outras formações como o mesmo poderio, o mesmo desejo e a mesma responsabilidade. Não creio e que seja normal quando se é afastado da competição tão cedo. Falo por mim, e se o Real Madrid perder uma final, ou uma meia-final, ou até mesmo um quarto-de-final, o futebol é assim mesmo. Mas quando se é afastado na fase de grupos é mais difícil de aceitar ou compreender. Na época passada, foram eliminados [nesta fase] e esta temporada penso que isso vai voltar a acontecer.

Se o City tivesse ganho [em Madrid, na primeira jornada], a história seria diferente. Mas tivemos uma reacção fantástica e ganhou o jogo. É crucial para nós estarmos numa posição em que apenas dependemos de nós, e estamos em boa forma para garantir o apuramento.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: Madrid 5-1 Athletic Club (Aurtenetxe og 12, Ramos 30, Benzema 32, Özil 56, Khedira 72; Ibai Gómez 42)
Casillas; Arbeloa, Pepe, Ramos, Coentrão; Alonso, Modrić, Callejón (Dí María 70), Özil (Khedira 62), Ronaldo; Benzema (Morata 74).

• O Real manteve o seu registo caseiro invicto esta época, e alcançou a quinta vitória consecutiva no campeonato.

Notícias da equipa
Michael Essien tem um pequeno toque e ficou em na capital espanhola, juntamente com Marcelo (fractura no pé) e os avançados Gonzalo Higuaín (estiramento na coxa) e Álvaro Morata (motivo desconhecido). Denis Cheryshev, avançado da equipa de reservas, que na semana passada se estreou pela Rússia, apesar de ainda não ter alinhado a nível sénior pelo clube, foi convocado.

Estatística
• Depois de recuperar para alcançar o empate frente a Borussia Dortmund e AFC Ajax, o City não perde há 19 jogos em casa nas competições europeias, desde a derrota por 1-0 com o FC Midtjylland, na segunda pré-eliminatória da edição 2008/09 da Taça UEFA.

Conteúdos relacionados