O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Reacção do Dínamo afunda Mönchengladbach

VfL Borussia Mönchengladbach 1-3 FC Dynamo Kyiv
A equipa de Miguel Veloso reagiu bem a um contratempo e ficou com boa vantagem para a segunda mão, na próxima semana, em Kiev.

Taras Mikhalik (segundo à direita) comemora o golo que marcou pelo Dínamo
Taras Mikhalik (segundo à direita) comemora o golo que marcou pelo Dínamo ©Getty Images

Um autogolo do reforço Luuk de Jong deixou o VfL Borussia Mönchengladbach numa posição muito difícil para lutar pela continuidade na UEFA Champions League na próxima semana.

O holandês foi infeliz quando tentou interceptar um livre marcado pelo português Miguel Veloso e fez a bola entrar na baliza da equipa da casa a nove minutos do final, após um jogo que tinha sido bastante equilibrado, mas os visitantes já tinham terminado o primeiro tempo com uma vantagem importante. Alexander Ring inaugurou o marcador para os anfitriões no início do encontro, o capitão Taras Mikhalik fez o empate aos 28 minutos com um remate que sofreu um desvio e traiu o guarda-redes, mas Andriy Yarmolenko consumou a reviravolta na conclusão de um rápido contra-ataque. No entanto, foi o momento de infelicidade de De Jong que parece ter comprometido as esperanças dos alemães poderem discutir a eliminatória.

Este desafio foi uma espécie de teste ao Mönchengladbach. Será que a surpreendente campanha na Bundesliga da época passada simboliza verdadeiramente o renascimento do clube ou foi apenas um resultado ocasional de uma equipa que continua a ter dificuldades em honrar o seu passado glorioso?

Desde o apito inicial foi visível que os ruidosos adeptos alemães depositam enorme confiança na jovem equipa de Lucien Favre e aos 13 minutos os jogadores pareceram determinados em dar um passo em frente e corresponder às expectativas. Juan Arango surpreendeu a defesa ucraniana com um passe magnífico a toda a largura do relvado a partir da direita, Ring recebeu a bola e ultrapassou o seu marcador directo, antes de bater o guarda-redes Maxym Koval.

O Dínamo, que já disputou várias jornadas no campeonato da Ucrânia, parecia surpreendido pelo ritmo com que os adversários entraram na partida. No entanto, a equipa de Yuri Semin chegou ao empate quando Mikhalik tentou a sorte de longa distância, com a bola a sofrer um desvio e a trair Marc-André ter Stegen. Oito minutos depois Denys Garmash fez um passe que rasgou a defesa do Mönchengladbach e permitiu a Yarmolenko entrar pela direita e colocar a bola no fundo da baliza germânica.

O Dínamo tentou controlar os jogadores de Favre nos minutos iniciais do segundo tempo, o ritmo baixou e, tirando uma tentativa de Arango, a estratégia do clube de Kiev parecia estar a resultar.

Mas a nove minutos do final do encontro as esperanças do Mönchengladbach sofreram um rude golpe. Miguel Veloso cruzou para o primeiro poste e De Jong bateu Ter Stegen ao tentar afastar a bola. A equipa da casa não queria acreditar na infelicidade e o Dínamo deu mais um grande passo rumo ao sonho da UEFA Champions League.