Os Treinadores: episódio sete

No último capítulo deste documentário, Arsène Wenger destaca a importância da capacidade de adaptação, enquanto José Mourinho fala da relação com os jogadores.

Os Treinadores: episódio sete
Os Treinadores: episódio sete ©UEFA.com

A apenas uma semana do pontapé de saída do UEFA EURO 2012, apresentamos a sétima e última parte do documentário Os Treinadores.

Nesta derradeira parte, o UEFA.com falou com vários treinadores de renome, entre eles Roberto Di Matteo, acabado de vencer a UEFA Champions League, Roy Hodgson, seleccionador inglês, e José Mourinho, técnico do Real Madrid CF. Esta semana centramos atenções na ascensão de um treinador e nos aspectos que afectam a sua chegada ao topo. Até que ponto essa ascensão é condicionada pelas experiências vividas antes de chegar à profissão?

"Tive a felicidade de ter sido futebolista profissional, o que me permitiu viver várias situações dentro de campo com as quais pude aprender e levar para o meu trabalho enquanto treinador", destaca Thomas Schaaf, há muito no cargo de treinador principal do SV Werder Bremen. "Do lado de fora podemos analisar melhor o jogo, mas claro que não podemos ter uma influência directa dentro de campo".

Igualmente determinante para o desenvolvimento de um treinador são aqueles que os influenciam durante o seu percurso ascendente no futebol profissional. Hodgson revela: "Penso muito nos vários treinadores carismáticos com quem trabalhei na minha juventude, pessoas com quem convivi, uma série de jovens treinadores extremamente dedicados ao futebol. Nomes como David Sexton, Don Howe e Bobby Robson. Mas, provavelmente, a principal influência era mesmo o grupo no seu todo; Bob Houghton, em particular, com quem passei muito tempo e que foi o principal responsável por eu seguir a carreira de treinador"

Para uma visão mais aprofundada assista ao vídeo acima.

Conteúdos relacionados