O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Real com vitória confortável

Real Madrid CF 5-2 APOEL FC (total: 8-2)
Cristiano Ronaldo bisou na passagem tranquila dos "merengues" às meias-finais à custa de um APOEL que nunca baixou os braços.

Real com vitória confortável
Real com vitória confortável ©UEFA.com

O Real Madrid CF vai defrontar o FC Bayern München nas meias-finais da UEFA Champions League, no final deste mês, depois de a aventura europeia do APOEL FC ter finalmente chegado ao fim, na capital espanhola.

José Mourinho tinha elogiado o campeão de Chipre afirmando que era a "equipa mais importante" na edição deste ano. No entanto, o crédito terminou nesse momento, depois de os "merengues" terem seguido um triunfo por 3-0, na primeira mão, com mais uma vitória confortável. Cristiano Ronaldo, autor de dois golos, Kaká, José Callejón e Ángel Di María marcaram para os madrilenos, mas o APOEL recusou-se a baixar os braços e deu aos 4000 adeptos visitantes algo para celebrar através dos golos de Gustavo Manduca e Esteban Solari, de penalty.

Antes do seu 450º jogo nas competições europeias, os anfitriões homenagearam o médio José María Zárraga, pentacampeão europeu pelo Real, que faleceu na terça-feira. Depois, rapidamente empreenderam o espírito ofensivo dos seus predecessores dos anos 50 e 60, com Gonzalo Higuaín a cabecear ao lado já na pequena área, antes de Ronaldo obrigar Urko Pardo a uma defesa instintiva.

Os pupilos de Ivan Jovanović tinham perdido duas vezes em sete jogos fora esta época, e pretendiam manter esse registo impressionante, colocando para isso em campo uma formação compacta. A sua resistência durou apenas até aos 26 minutos, quando Ronaldo marcou o seu 54º golo em 52 jogos, pelo clube e selecção, na presente temporada, encostando à boca da baliza um cruzamento de Marcelo.

A equipa cipriota ficou em maiores dificuldades 11 minutos depois, novamente com Marcelo a assistir, desta feita para o seu compatriota Kaká, que executou um sublime remate em arco, de fora da área, sem hipóteses para Pardo. O antigo guarda-redes do FC Barcelona B – no lugar de Dionisios Chiotis – voltou a estar em apuros momentos depois, ao estirar-se para tentar deter um remate de Kaká, que raspou a base do poste antes de sair pela linha-de-fundo.

O líder da Liga começou a segunda parte com mais um remate de longe de Kaká, que passou ao lado, e foi isso que finalmente despertou o APOEL a ousar atacar. Constantinos Charalambides mostrou o caminho, com um remate que passou por cima da barra da baliza de Iker Casillas, antes de uma jogada inteligente dos visitantes ter terminado com Marcinho a assistir Aílton, que depois deixou a bola em Gustavo Manduca, que irrompeu pela área para bater Casillas com tranquilidade.

O jogo entrou depois num período final frenético, com Ronaldo a aumentar a vantagem da sua equipa, através de um livre bem colocado, que fez a bola entrar junto ao poste. O suplente José Callejón apontou o seu quinto golo em igual número de jogos na UEFA Champions League, com um remate rasteiro que fugiu ao alcance de Pardo, aumentando para 4-1. O APOEL voltou a reduzir a diferença através de um penalty de Esteban Solari, a castigar falta de Hamit Altintop sobre Aldo Adorno.

O chapéu de Ángel Di María, após passe de calcanhar de Kaká, selou o resultado final. O Real pode agora concentrar-se na visita ao Bayern, na primeira mão das meias-finais, a 17 de Abril.