O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Guardiola elogia Messi e a perfeição do Barça

Josep Guardiola e o treinador do Leverkusen, Robin Dutt, lideraram os elogios a Lionel Messi, após cinco golos do argentino terem iluminado Camp Nou, o ponto alto da "exibição perfeita" do Barcelona.

Lionel Messi (ao centro) festeja com Andrés Iniesta e Pedro Rodríguez a caminho de marcar cinco golos
Lionel Messi (ao centro) festeja com Andrés Iniesta e Pedro Rodríguez a caminho de marcar cinco golos ©AFP/Getty Images

Josep Guardiola, treinador do Barcelona
Testemunhámos hoje uma das noites mais especiais do [Lionel] Messi; vê-lo jogar foi como receber uma prenda. Merece ser homenageado neste  momento, porque é algo realmente incrível estar a apenas sete golos de César [Rodríguez, melhor marcador de sempre do Barcelona] – e tem apenas 24 anos. Não é fácil marcar cinco golos num único jogo, e diz isto quem marcou apenas 11 em toda a sua carreira. Se ele quiser, um dia marca seis. Também tenho de dizer que o [Andrés] Iniesta jogou de forma magnífica.

Atingimos os quartos-de-final nos últimos cinco anos e isso diz muito da enorme estabilidade que se vive neste clube. Esta é realmente a competição mais bela. O adversário desta noite tinha deixado pelo caminho o Valência e apenas há alguns dias tinha ganho ao Bayern; isso valoriza ainda mais o nosso feito. Há que agradecer a todos os jogadores e restantes elementos do clube.

Robin Dutt, treinador do Leverkusen
Apesar de termos defrontado o Barcelona, esta derrota dói bastante. Há que admitir: eles foram demasiado fortes. Vão chover críticas e vamos ter de aceitá-las. Não estivemos ao nosso melhor e, quando se joga com o Barcelona, é preciso estar num dia perfeito. Não desistimos na segunda parte, mas eles foram simplesmente demasiado fortes. Quando estava 2-0 aperceberam-se que podiam relaxar e divertir-se com a bola, e foi o que aconteceu. Tentámos acompanhar o ritmo, mas fomos castigados. Isso pode acontecer frente a um adversário como o Barcelona.

Como é óbvio, os jogadores tentam sempre acompanhar o jogador que estão a marcar, mas hoje foi impossível. Chegámos tarde à bola demasiadas vezes. Depois desta derrota não se deve colocar o futebol alemão em causa. O Barcelona pode jogar assim contra qualquer equipa de qualquer campeonato. Vai ser fácil esquecer este jogo: somos todos profissionais. A UEFA Champions League é uma coisa, a Bundesliga é outra.

O Barcelona possui uma qualidade extraordinária e a questão é: "como é que se consegue atingir esse nível?" Temos de descobrir. Felicitei o Guardiola e disse-lhe que acredito que a sua equipa vai voltar a estar na final da UEFA Champions League desta época. Eles aproveitam muito bem o espaço livre e a forma como constroem as jogadas é soberba. Quem é adepto deve estar profundamente impressionado com o Messi hoje, mas eu, como treinador, esperava que ele estivesse num dia mau. Têm tudo: técnica, táctica e espírito de equipa. Uma exibição perfeita.