Números dos "oitavos" da UEFA Champions League

O UEFA.com tem estatísticas importantes sobre os jogos desta semana e analisa os números antes dos embates da primeira mão, incluindo os registos contrastantes de Nápoles e Marselha.

Edinson Cavani e o Nápoles têm tido muitos motivos para festejar com o Nápoles esta época
Edinson Cavani e o Nápoles têm tido muitos motivos para festejar com o Nápoles esta época ©Getty Images

A meio da primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League, o UEFA.com observa os números dos quatro jogos que faltam, agendados para a próxima semana, e explica que enquanto o factor-casa traz muitas vantagens para o SSC Napoli, tudo é diferente no Stade Vélodrome. Também revelamos o informador privilegiado do FC Basel 1893 e um registo invicto que moraliza o PFC CSKA Moskva na recepção ao Real Madrid CF.

2
Olympique de Marseille e FC Internazionale Milano sofreram duas derrotas caseiras na fase de grupos. Cada um somou apenas três pontos em casa, comparados com os sete averbados fora.

9
O Basileia não precisa de procurar muito por quem lhe possa dar informação privilegiada sobre o FC Bayern München – o treinador Heiko Vogel passou nove anos nos escalões de formação do gigante alemão, entre 1998 e 2007. Nesse período orientou as equipas Sub-10, Sub-13, Sub-15 e Sub-17, tendo a seu cargo Thomas Müller, Philipp Lahm e Diego Contento.

4
Menos bom para a formação suíça é o facto de Bastian Schweinsteiger ter marcado quatro vezes nas últimas três deslocações ao St. Jakob-Park. O médio bisou para ajudar o Bayern a recuperar de desvantagem e bater o Basileia por 2-1, na fase de grupos da época anterior. Também facturou em jogos consecutivos no UEFA EURO 2008 – frente a Portugal, nos quartos-de-final, e Turquia, nas meias-finais.

10
O Basileia sofreu dez golos na fase de grupos – mais do que qualquer outro dos clubes apurados para os oitavos-de-final –, apesar de não perder há 13 jogos, todas as competições incluídas. Essa série conta com nove vitórias e quatro empates desde a derrota caseira frente ao Benfica, por 2-0, a 18 de Outubro.

6
O Real venceu os seis jogos disputados na fase de grupos (apenas a quinta equipa a consegui-lo desde o advento da UEFA Champions League) e registou vitórias nos dois últimos confrontos com equipas russas. Antes dessa primeira vitória, no terreno do FC Lokomotiv Moskva, na segunda fase de grupos da edição 2002/03, tinha empatado três jogos e perdido quatro – incluindo três consecutivos – na Rússia. É pouco provável que tenha a vida facilitada frente a uma equipa do CSKA que não perde há cinco jogos, em casa e fora, frente a adversários espanhóis.

11
O Chelsea FC também enfrenta uma primeira mão exigente em casa do Nápoles, onde o Manchester City FC, seu rival na Premier League, já perdeu esta época. Desde que regressou às competições europeias em 2008, depois de 13 anos de ausência, o Nápoles não perde há 11 jogos no Stadio San Paolo. A última equipa visitante a prevalecer em Nápoles foi o Eintracht Frankfurt, em Dezembro de 1994, enquanto o Chelsea ganhou apenas uma vez em sete visitas a Itália.

3
Após ter sofrido a sua derrota mais pesada nas competições europeias, ao ser goleado fora pelo AC Milan, por 4-0, o Arsenal FC tem que fazer aquilo que apenas três equipas conseguiram nas provas da UEFA – recuperar de uma desvantagem de quatro golos trazida da primeira mão. O Real perdeu com o VfL Borussia Mönchengladbach por 5-1, na terceira eliminatória da edição 1985/86 da Taça UEFA, mas ganhou o segundo jogo por 4-0. Já Leixões (ante o FC La Chaux-de-Fonds, primeira eliminatória da edição 1961/62 da Taça dos Vencedores das Taças) e FK Partizan (contra o Queens Park Rangers FC, segunda eliminatória da edição 1984/85 da Taça UEFA) deram a volta a derrotas fora por 6-2 com triunfos caseiros por 5-0 e 4-0, respectivamente. No entanto, ambos beneficiaram de golos marcados fora – algo que não acontece com o Arsenal.

4-1
Para o Milan evitar qualquer tipo de relaxamento, basta lembrar-se dos quartos-de-final da edição 2003/04, frente ao RC Deportivo La Coruña. Os "rossoneri" passearam-se na primeira mão, em San Siro, vencendo por 4-1, mas depois perderam por 4-0 em Espanha – a maior diferença trazida da primeira mão a ser superada na história da UEFA Champions League.

7 
O Arsenal não é a única equipa a ter a história contra si. Uma derrota caseiro por 3-1 frente ao FC Barcelona obriga o Bayer 04 Leverkusen a conseguir algo inédito. A equipa alemã perdeu as sete eliminatórias em que sofreu um desaire na primeira mão, enquanto o Barcelona apurou-se em 31 das 33 ocasiões em que registou um triunfo fora na primeira mão. No entanto, por uma vez cedeu uma vantagem de dois golos: depois de vencer o FC Metz, por 4-2, foi derrotado em casa por 4-1, na primeira eliminatória da edição 1984/85 da Taça das Taças.

5 
O Olympique Lyonnais tem mais motivos para estar optimista – apurou-se em todas as eliminatórias nas quais venceu a primeira mão por 1-0 em casa. Resultado alcançado frente ao APOEL FC, graças ao golo de Alexandre Lacazette na segunda parte. No entanto, já por uma vez o campeão cipriota superou uma derrota fora por 1-0 esta época, levando a melhor sobre o Wisła Kraków por 3-1, na segunda mão do "play-off".

5
Zlatan Ibrahimović marcou o seu quinto golo consecutivo na UEFA Champions League, com o penalty tardio frente ao Arsenal – o avançado dos "gunners", Marouane Chamakh, detém o recorde da competição, depois de ter facturado em seis jogos consecutivos ao serviço de FC Girondins de Bordeaux e Arsenal, em 2010.

Conteúdos relacionados