O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Eficiência catalã agrada a Guardiola

"Fomos bons em todos os aspectos", disse Josep Guardiola, depois de o Barcelona se ter colocado em boa posição com uma vitória por 3-1 sobre o Leverkusen, fora, na primeira mão.

Alexis Sánchez comemora um dos seus golos
Alexis Sánchez comemora um dos seus golos ©Getty Images

Robin Dutt, treinador do Leverkusen
A nossa defesa esteve muito bem durante a primeira parte, mas mostrámos respeito em demasia. Na segunda a história foi completamente diferente. Durante o intervalo pedi aos meus jogadores para assumirem a iniciativa e participarem mais no jogo. Dessa forma, criámos problemas ao Barcelona na etapa complementar. Durante 15 minutos fomos a melhor equipa e praticámos um futebol muito bom. Para o jogo em Camp Nou, em teoria, não temos hipóteses, mas nunca se sabe. Há alguns anos vi o Barcelona vencer o Basileia [5-0] na Suíça, mas depois empatou 1-1 no segundo jogo, em Espanha, por isso tudo é possível.

Josep Guardiola, treinador do Barcelona
As equipas alemãs criam sempre problemas. Da minha experiência, mesmo quando não estão a jogar bem acabam sempre por aparecer e fazer a diferença em determinada altura. A primeira parte foi um pouco vagarosapara nós quando comparada com a segunda. Nos primeiros 45 minutos, eles não deram assim tantos espaços, mantendo a solidez na retaguarda. Ainda assim conseguimos criar oportunidades e o facto de termos marcado três golos fora é muito bom. Estamos bastante satisfeitos.

Trata-se de uma equipa com jogadores muito altos e que faz passes longos para zonas perigosas. Vamos precisar de estar atentos a isso na segunda mão. Quando se sofre um golo nunca é fácil voltar a atacar e recuperar a vantagem. Fomos bons em todos os aspectos, a defender e a atacar. Agora estamos nas competições europeias e não é fácil criar tantas oportunidades como nós o fizemos.

Não podemos esperar vir a um estádio como este e imaginar que o adversário não vai criar oportunidades de golo também. A segunda parte adequou-se melhor às nossas características do que a primeira. Foi mais disputada, com perigo nas duas balizas, mas isso é normal nas competições europeias. Serve-nos de lição para a segunda mão.

Na arte de competir, a minha equipa mostrou que está bem. Estamos a falar da UEFA Champions League e viemos à Alemanha defrontar uma equipa que praticamente eliminou o Valência e todos nós conhecemos a qualidade do Valência. Estamos muito satisfeitos com o que conseguimos esta noite. Ficámos um pouco mais perto dos quartos-de-final.