Perigo do Barcelona espreita Leverkusen

O Bayer Leverkusen vai tentar recuperar de uma desvantagem de 3-1 no Camp Nou, onde o actual campeão, o Barcelona, venceuos últimos nove encontros com equipas da Bundesliga.

Retrospectiva: Leverkusen - Barcelona ©Getty Images

O FC Barcelona recebe o Bayer 04 Leverkusen no Camp Nou com os olhos naquela que será a sua quinta presença consecutiva nos quartos-de-final da UEFA Champions League.

• Os alemães pretendem regressar a uma fase da prova que não alcançam desde 2001/02, ano em que chegaram à final e perderam com o Real Madrid CF, apesar de terem de dar a volta a uma desvantagem de 3-1 da primeira mão.

Encontros anteriores
• Até à Taça UEFA de 1987/88, que venceria, o Leverkusen nunca tinha defrontado uma formação espanhola, até encontrar o Barcelona nos quartos-de-final dessa edição. Milton Tita bateu Andoni Zubizarreta – hoje director-desportivo do Barça – e marcou o único golo da eliminatória, na segunda mão, na Catalunha, e assim os homens de Erich Ribbeck foram em frente, acabando por encontrar (e vencer), na final, outro clube catalão, o RCD Espanyol.

• Alguns anos mais tarde, quando estas equipas voltaram a encontrar-se, na primeira fase de grupos da UEFA Champions League de 2001/02, cada uma venceu o seu jogo em casa por 2-1, com os golos a caberem a Michael Ballack, Carles Puyol e Xavi Hernández.

• Na temporada seguinte voltariam a encontrar-se, na segunda fase de grupos, mas desta vez os "blaugrana" venceriam por 2-1 em Leverkusen e 2-0 em Barcelona, golos marcados por Puyol, Xavi e Andrés Iniesta.

Retrospectiva
• O registo do Barcelona, quer no que toca à UEFA Champions League, quer frente a adversários alemães, sublinha bem a dificuldade da tarefa que cabe ao Bayer – equipa que há uma década não vence jogos fora na prova.

• Os comandados de Josep Guardiola contam, desde Outubro de 2009, com 13 jogos europeus em casa sem derrotas, com 11 vitórias e dois empates.

• Os catalães venceram o VfB Stuttgart em casa, nesta fase da prova na edição de 2009/10, por 4-0, e ganharam todos os últimos nove jogos caseiros contra equipas alemãs, marcando 24 golos e sofrendo apenas quatro. O registo geral frente a equipas da Bundesliga assinala dezoito vitórias, um empate e seis derrotas.

• Desde que bateu o Maccabi Haifa FC, em Outubro de 2002, por 2-0, o Leverkusen não conseguiu voltar a ganhar fora de casa na UEFA Champions League, contando três empates e nove derrotas.

• O Leverkusen já perdeu em solo espanhol na presente temporada, por 3-1, ante o Valencia CF, na quarta jornada. Ballack fazia parte da equipa que venceu em Espanha pela última vez, tendo marcado na vitória por 3-1 sobre o RC Deportivo La Coruña, em 2001/2002.

• O Barcelona apurou-se 31 vezes nas 33 ocasiões em que ganhou fora a primeira mão de uma prova da UEFA, mais recentemente frente ao Real Madrid CF, nas meias-finais da época passada. O Barça nunca havia ganho uma primeira mão fora de portas por 3-1, mas já deixou escapar uma vantagem de 4-2 no recito do FC Metz, a que se seguiu uma derrota por 4-1 na primeira eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças de 1984/85.

• O Leverkusen perdeu a primeira mão em casa em sete ocasiões, tendo sido afastado em todas essas eliminatórias.

Encontros anteriores
• As primeiras quatro participações de Guardiola, como jogador, na prova de clubes mais importante da UEFA aconteceram no Outono de 1991, frente ao FC Hansa Rostock e ao 1. FC Kaiserslautern. Os catalães perderam ambos os jogos fora, mas venceram os dois em casa, e acabariam por conquistar essa edição da prova.

• Ao serviço do Chelsea FC, Ballack disputou com o Barcelona um lugar na final da UEFA Champions League de 2008/09, numa eliminatória em que o golo do empate dos catalães, já nos descontos, no jogo de Londres, lhes valeu o apuramento, com base nos golos marcados fora. Antes disso, o internacional alemão tinha ajudado o Chelsea a acabar a fase de grupos de 2006/07 acima do Barcelona, com uma vitória em casa por 1-0 e um empate a dois fora.

• A selecção espanhola, de Puyol, Xavi, Iniesta e Cesc Fàbregas, venceu a alemã, de Ballack, na final do UEFA EURO 2008. Mais tarde, a meia-final do Mundial de 2010 também sorriria aos espanhóis, depois de um golo de cabeça de Puyol, que fez o resultado final.

• Eren Derdiyok e Tranquillo Barnetta estiveram no centro da estrondosa vitória, por 1-0, da selecção suíça sobre a espanhola, no início do Mundial da África do Sul. Além de Puyol, Xavi e Iniesta, também Gerard Piqué, Sergio Busquets, David Villa e Pedro Rodríguez alinharam pela "roja".

• Derdiyok e Barnetta não demorariam a sair do estado de graça, pois a sua selecção perderia o jogo seguinte, também por 1-0, com a do Chile, onde jogou Alexis Sánchez, hoje no Barça.

• Michal Kadlec fez parte da selecção checa que, em Março de 2011, perdeu um jogo do apuramento para o UEFA EURO 2012 com a Espanha, no qual David Villa marcou dois golos e se tornou no melhor marcador de sempre da selecção espanhola.

• Daniel Alves e Adriano faziam parte da equipa do Sevilla FC que eliminou o 1. FC Mainz 05, de Manuel Friedrich, na primeira ronda da Taça UEFA de 2005/06, com um resultado global de 2-0.

• Alves e Renato Augusto são colegas na selecção do Brasil. Jogaram juntos num particular, com a Alemanha, em Agosto de 2011, no qual a "canarinha" perdeu por 2-0. André Schürrle e Simon Rolfes, do Leverkusen, foram suplentes e o primeiro destes dois jogadores marcaria mesmo um golo.