Trabzonspor e CSKA dividem os pontos

Trabzonspor AŞ 0-0 PFC CSKA Moskva
Num jogo sem golos, um cabeceamento ao poste de Arkadiusz Głowacki foi o mais perto que o marcador esteve de funcionar.

Didier Zokora (à direita) resiste ao duelo com Alan Dzagoev, do CSKA
Didier Zokora (à direita) resiste ao duelo com Alan Dzagoev, do CSKA ©Getty Images

Trabzonspor AŞ e PFC CSKA Moskva permanecem em igualdade pontual no Grupo B da UEFA Champions League e mantêm acesa a luta pelo apuramento, depois de empatarem a zero na Turquia.

Os dois golos de Seydou Doumbia foram decisivos para os "militares" vencerem o primeiro jogo entre ambos, por 3-0, há duas semanas, mas desta feita, o avançado, que viu um remate desviado em cima da linha-de-golo por Giray Kaçar, teve uma noite para esquecer, que culminou na sua expulsão aos 74 minutos, após uma falta sobre o compatriota Didier Zokora.

Nem mesmo o regresso do goleador Burak Yılmaz, após cumprir castigo, inspirou os anfitriões à vitória − que estiveram perto de conseguir em tempo de compensação, quando Arkadiusz Głowacki cabeceou ao poste − e isso teria feito a formação turca ultrapassar o CSKA no segundo lugar, atrás do FC Internazionale Milano.

Os visitantes tomaram conta dos acontecimentos no período inicial e poderia ter marcado logo aos dois minutos, altura em que Doumbia contornou o guarda-redes Tolga Zengin, mas Giray intrometeu-se e evitou o seu quinto golo na UEFA Champions League. Pouco depois, o guardião do Trabzonspor desviou um remate de Vágner Love.

Autor de 11 dos 14 golos do Trabzonspor no campeonato turco até ao momento, Burak era marcado atentamente pela defesa do CSKA, cuja armadilha do fora-de-jogo apanhou o jogador de 26 anos várias vezes. No entanto, não lhe faltaram oportunidades para visar a baliza, como foi o caso de um remate ao lado e de um cabeceamento que também falhou o alvo, à beira do intervalo.

Na baliza contrária, Doumbia revelava-se mais ameaçador. O avançado costa-marfinense viu os seus intentos gorados por uma boa defesa de Tolga em tempo de compensação, após sair de entre os postes, com o CSKA a terminar a primeira parte mais forte. A equipa de Leonid Slutksi controlou grande parte dos primeiros 45 minutos, e quando começou a ganhar ascendente com um jogo de passes curtos após o recomeço, Şenol Güneş fez entrar Paulo Henrique e Alanzinho, para darem algum apoio ofensivo a Burak.

Essas alterações quase deram resultados, quando Alanzinho roubou a bola a meio-campo, rumou à grande área e obrigou Vladimir Gabulov a uma boa defesa junto à relva. As expectativas do ruidoso público da casa aumentaram depois da expulsão de Doumbia, por um segundo cartão amarelo, e que o afasta da recepção ao LOSC Lille Métropole, daqui a três semanas. Ainda assim, quaisquer esperanças de presão final não chegaram a materializar-se.

De facto, Tolga teve que estar atento para desviar um remate de Alan Dzagoev, apesar de o clube turco ter estado perto do golo no seu último ataque, com Głowacki a cabecear a bola cruzada por Gustavo Colman ao poste e sair ao lado.