O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Benfica demasiado forte para o Twente

Benfica 3-1 FC Twente (total: 5-3)
Alex Witsel marcou antes e depois de Luisão na vitória que garantiu o regresso dos "encarnados" à fase de grupos.

Douglas (FC Twente) e Pablo Aimar (Benfica) em duelo no Estádio da Luz
Douglas (FC Twente) e Pablo Aimar (Benfica) em duelo no Estádio da Luz ©Getty Images

O Benfica garantiu a passagem à fase de grupos da UEFA Champions League, ao bater o FC Twente na segunda mão do "play-off", por 3-1.

A formação "encarnada", que repetiu o "onze" da primeira mão, entrou a todo o gás no Estádio da Luz, com Pablo Aimar a testar a atenção do guarda-redes Nikolay Mihaylov ainda no primeiro minuto. Mais rematadora nos instantes iniciais, a turma comandada por Jorge Jesus ia tentando chegar com perigo à área contrária. Assim, aos 11 minutos, o Benfica dispôs da melhor ocasião até à altura, por intermédio de Nolito. O avançado espanhol foi desmarcado brilhantemente por Óscar Cardozo, mas o chapéu embateu nas malhas laterais da baliza holandesa.

A jogar na expectativa e no erro do adversário, o Twente gozava de pouco espaço para atacar e sentiu algumas dificuldades para travar as ofensivas dos homens da casa no primeiro tempo. Ainda assim, os holandeses criaram perigo aos 21 minutos, na sequência de um cruzamento tenso do lado direito. Garay antecipou-se e cortou para canto.

À passagem da meia-hora, o Benfica enjeitou nova oportunidade para abrir o marcador, num lance de contra-ataque. Cardozo assistiu Aimar, com o argentino a progredir pelo lado direito. À saída de Mihaylov, o médio tocou para o poste mais distante mas a bola saiu a escassos centímetros do alvo.

Aos 34 foi a vez de o Twente responder, e com muito perigo. Bryan Ruiz ganhou posição de remate à entrada da área e, em jeito, tentou surpreender Artur, com o esférico a passar muito perto do poste. No minuto seguinte Nico Gaitán respondeu na mesma moeda, também com um disparo perigoso de pé esquerdo.  Seis minutos volvidos Nolito ganhou espaço para novo remate – defesa providencial de Mihaylov –, que voltou a negar o golo aos "encarnados", aos 42 minutos, após disparo de Cardozo.

A segunda parte começou da melhor forma para o conjunto da casa, com um golo logo aos 46 minutos, após livre de Gaitán. Luisão desviou de cabeça e Axel Witsel, com um remate acrobático, assinou um tento de belo efeito. Galvanizado pelo golo, o Benfica não tirou o pé do acelerador e continuou a pressionar.

Aos 54 minutos foi a vez de Cardozo ficar perto do golo, na sequência de uma iniciativa individual. Cara a cara com Mihaylov permitiu a defesa do guardião búlgaro. O segundo golo adivinhava-se e aos 59 minutos os "encarnados" dilataram a vantagem na sequência de um pontapé de canto cobrado por Aimar, um dos melhores em campo. Luisão, ao primeiro poste, desviou de cabeça para o 2-0.

Aos 63 minutos, o Twente deu um ar da sua graça e o recém-entrado Ola John, em boa posição, permitiu a defesa de Artur. Mas o Benfica estava imparável e Witsel bisou aos 66 minutos, após passe de Cardozo. O médio belga progrediu pela zona central, isolado, tendo efectuado um remate forte e colocado, fora do alcance de Mihaylov.

Sem nada a perder, a turma holandesa lançou-se no ataque e, aos 70 minutos, poderia ter marcado, após cabeceamento de Ruiz. Artur correspondeu com uma defesa fantástica, a negar autenticamente o golo aos holandeses. Era tempo de brilharem os guarda-redes, já que Mihaylov voou para negar o quarto do Benfica, aos 78 minutos, na sequência de um remate de Aimar. Depois de ter ameaçado, Ruiz acabou mesmo por marcar, após cruzamento de Ola John. O costa-riquenho saltou mais alto e cabeceou para o fundo das redes, assinando o tento de honra dos visitantes.