1999/2000 FC Barcelona 5-1 Chelsea FC (ap): Crónica

"Fizemos um jogo perfeito naquele dia." Luís Figo

1999/2000 FC Barcelona 5-1 Chelsea FC (ap): Crónica
1999/2000 FC Barcelona 5-1 Chelsea FC (ap): Crónica ©UEFA.com

Chelsea FC e FC Barcelona têm travado um conjunto de duelos épicos ao longo dos anos, mas o primeiro, no ano 2000, terá sido talvez o mais memorável.

Não sendo suave ou sofisticado como o seu treinador, Gianluca Vialli, o Chelsea, ainda assim, adoptou um estilo sob o comando do italiano que serviu bem os desígnios da equipa. Vencedores de um grupo da segunda fase que incluía, também, o AC Milan, os ingleses apuraram-se facilmente para os quartos-de-final e, apesar de o palmarés europeu do adversário ser bastante superior, isso foi algo que pouco significou, ainda que inicialmente. Os londrinos venceram a primeira mão em Stamford Bridge, por 3-1, ficando em posição privilegiada para atingirem as meias-finais. Mas deviam ter tomado todas as precauções e tal acabou por não concretizar-se.

Afinal de contas, nunca se deve facilitar frente a uma equipa do Barça integrando estrelas como Rivaldo, Patrick Kluivert, Luís Figo ou o actual treinador, Josep Guardiola. Com efeito, a partir do momento, aos 24 minutos, em que o Bola de Ouro Rivaldo bateu o guardião Ed de Goey com um livre directo no qual a bola mudou de trajectória após embater num jogador dos ingleses, o Chelsea só a custo conseguiu evitar mais estragos num curto espaço de tempo.

No entanto, ao intervalo o Barça já estava em vantagem na eliminatória, em virtude do maior número de golos marcados fora de casa. Um remate rasteiro de Kluivert acertou no poste já com De Goey batido, mas Figo surgiu oportunamente a recargar com sucesso. Como, todavia, acontece quando o domínio de uma das partes é tão intenso, surgem momentos de complacência. Como aquele protagonizado pelo guarda-redes Ruud Hesp. À passagem dos 60 minutos, o holandês aliviou mal uma bola e Tore André Flo aproveitou para apontar o seu terceiro golo na eliminatória. Os "blues" voltavam a estar em vantagem.

E assim continuou até aos últimos sete minutos, quando, primeiro, o Barcelona empatou a eliminatória através de um cabeceamento de Dani e, momentos depois, desperdiçou uma boa oportunidade de sentenciar a eliminatória quando Rivaldo esbanjou uma grande penalidade. No entanto, o virtuoso brasileiro não falharia aos nove minutos do prolongamento, rematando com sucesso da marca dos 11 metros, após Celestine Babayaro ter derrubado Figo na área.

Suficientemente corajoso para voltar a rematar para o mesmo lado, desta feita a grande penalidade de Rivaldo passou pelo lado correcto do poste direito. Kluivert ainda dilataria o marcador, mas a verdade é que há muito que o momento do Chelsea terminara, após uma noite cheia de reviravoltas. E não seria a última entre estas duas equipas.