A missão quase impossível de Mourinho

O treinador do Real Madrid admitiu que dar a volta à eliminatória frente ao Barcelona vai ser "muito difícil", enquanto Josep Guardiola avisou os seus jogadores que o Barça ainda não está na final.

Lionel Messi é congratulado pelos companheiros de equipa
Lionel Messi é congratulado pelos companheiros de equipa ©Getty Images

Josep Guardiola avisou os jogadores do FC Barcelona que ainda não estão no Wembley Stadium, apesar de dois golos de Lionel Messi no Santiago Bernabéu terem colocado os "blaugrana" firmes no comando da meia-final da UEFA Champions League contra o Real Madrid CF. O treinador do Barça guardou um elogio especial para o jogador que decidiu o encontro, enquanto José Mourinho lamentou a expulsão de Pepe, aos 61 minutos, lance que considerou como o ponto de viragem do encontro.

José Mourinho, treinador do Real Madrid
O Barcelona é uma excelente equipa, mas julgo que se não fosse o cartão vermelho, o jogo terminaria empatado a zero. Contra dez eles puderam jogar de forma mais facilitada. O segundo jogo, em Barcelona, vai ser muito difícil, quase impossível. Tive um milagre na época passada com o FC Internazionale Milano em Camp Nou, mas, para já, o Real está eliminado. Vamos a Barcelona com todo o nosso orgulho e muito respeito, mas sem Pepe e [Sergio] Ramos vai ser muito difícil.

A minha abordagem ao jogo tinha fases diferentes: pressionar o meio-campo e tentar frustrar o nosso adversário, tal como tínhamos conseguido nos dois últimos jogos [na Liga espanhola e na Taça de Espanha]. Tínhamos decidido que o Emmanuel Adebayor entraria na segunda parte e, depois, o Kaká, mas o cartão vermelho mudou tudo. Estávamos prontos para correr riscos, mas agora é uma missão impossível.

Josep Guardiola, treinador do Barcelona
Fizemos um excelente jogo. Contra 11 jogadores controlámos a velocidade dos ataques do Real e o seu jogo de passes. Fomos mais agressivos e tenho de dar os parabéns aos jogadores por isso. Uma equipa como o Real Madrid nunca desiste de um jogo ou de uma eliminatória, e as pessoas de Barcelona sabem o respeito que temos por eles. Agora, temos de recuperar para o jogo [sábado] da Liga e para a segunda mão, na próxima terça-feira, mas ainda não estamos em Wembley.

Temos sorte em ter Messi. Com apenas 23 anos é o terceiro melhor marcador de sempre do nosso clube e isso é impressionante. É a beleza do nosso estilo de ataque. Corrigimos alguns aspectos em relação à final da Taça, coisas que tínhamos feito mal. Defrontar muitas vezes a mesma equipa significa que nos conhecemos cada vez melhor e, por isso, temos de ter cuidado. Ainda não estamos na final. Só ganhámos a primeira mão por 2-0.

Viemos aqui com muitos jogadores que cresceram em La Masía e controlámos o jogo. Não permitimos oportunidades ao Real na primeira parte e isso é muito difícil de conseguir. Estou muito orgulhoso. [David] Villa esteve muito bem e [Seydou] Keita fez um trabalho impressionante, mas o Real será mais perigoso na próxima terça-feira.

Topo