Mourinho aposta no trabalho árduo

José Mourinho tem citado Albert Einstein para inspirar o Real Madrid, enquanto Josep Guardiola prepara o Barcelona para defrontar uma equipa "no pico da sua forma".

Mourinho aposta no trabalho árduo
Mourinho aposta no trabalho árduo ©UEFA.com

Uma semana depois de ter guiado o Real Madrid CF à conquista da Taça de Espanha frente ao FC Barcelona, José Mourinho antecipa um "jogo diferente" quando os arqui-rivais disputarem a primeira mão de uma meia-final espanhola da UEFA Champions League muito aguardada. Apesar de a sua equipa ter ganho o jogo mais recente entre ambos, por 1-0, com um golo de cabeça de Cristiano Ronaldo, o treinador do Real considera "não existirem favoritos". Já o seu homólogo, Josep Guardiola, teme que os anfitriões possam estar a aproximar-se do seu melhor momento de forma esta época.

José Mourinho, treinador do Real
Não sei como o Barcelona se sente neste momento, só sei como nós nos sentimos. Estaríamos iguais mesmo que tivéssemos perdido a Taça de Espanha, apesar de, como é óbvio, ser fantástico conquistar o troféu. No dia seguinte já estávamos relaxados e focados novamente, prontos para o próximo jogo na Liga.

Antes de chegar aqui hoje disse a alguém que sou o mesmo treinador que perdeu por 5-0 em Barcelona há uns meses. Não mudei nada. Não tenho uma fórmula mágica para vencê-los. Só sei que é preciso muito trabalho. Desde essa derrota jogámos um grande jogo contra eles na Liga e empatámos 1-1. Depois vencemos por 1-0 a final da Taça de Espanha [após prolongamento], mas este vai ser um jogo diferente, e tudo pode acontecer.

Na minha opinião não há favoritos nas meias-finais da UEFA Champions League. No nosso caso, trata-se de dois rivais que se conhecem muito bem, com uma imensa história comum. Ambas as equipas possuem jogadores que estão à altura de desafios importantes e que já alcançaram sucesso.

Sou um motivador nato. Como toda a gente, tenho que me motivar a mim primeiro. Só disse uma coisa aos meus jogadores antes da final da Taça de Espanha, e foi algo que copiei de alguém chamado Einstein, Albert Einstein, que afirmava que existe uma força mais poderosa que a energia, o vapor, a electricidade ou a energia atómica: a força de vontade humana ... e Einstein não era parvo.

Se jogarmos bem, criarmos muitas oportunidades, acabarmos como a melhor equipa em campo, mas com um empate, então é óbvio que ficarei feliz. Se eles fizerem todas essas coisas e nós empatarmos, também ficarei feliz.

Josep Guardiola, treinador do Barcelona
Amanhã vamos entrar em campo para tentar vencer. Felicito o Real pela sua vitória na Taça de Espanha, que alcançou de forma merecida. O Andrés Iniesta é baixa confirmada para este jogo, mas esperamos que esteja pronto para a segunda mão. Os meus jogadores sabem que aqui não há desculpas. Se ganharmos é porque fomos melhores. Vamos defender essa ideia até ao fim.

Vamos enfrentar uma equipa que atingiu o pico da sua forma. Estamos presentes nas meias-finais da UEFA Champions League e para nós é uma grande exigência jogar contra o Real, uma das melhores equipas europeias. É um desafio de peso já que estamos a apenas um passo de Wembley. Vamos fazer o melhor possível. Viemos aqui tentar vencer uma equipa que conquistou nove Taças dos Campeões Europeus.

Estou muito satisfeito por estar nesta fase da competição, é um sucesso. Se viermos aqui para defender, o adversário vai encontrar maneira de contornar esse obstáculo, pois tem jogadores muito bons. Vamos competir da forma que sabemos e com os recursos que temos.

Notícias das equipas
Real
Sami Khedira é ausência devido a uma rotura no adutor da perna direita. Lassana Diarra, que regressou à competição depois de recuperar de um problema na anca, pode muito bem ser o homem escolhido para dar cobertura ao meio-campo defensivo. Emmanuel Adebayor (virilha) e Ángel Dí María (contusão no joelho direito) debelaram pequenas mazelas e foram convocados. Fernando Gago permanece de fora, com uma rotura num adutor.

Barcelona
O Barça também não pode contar com um elemento-chave no meio-campo, depois de Guardiola ter confirmado que a lesão nos gémeos sofrida por Iniesta o vai impedir de jogar. Maxwell também não é opção, apesar de Carles Puyol ter treinado na capital espanhola, após recuperar de problemas no joelho e um estiramento na coxa. Gabriel Milito (gémeos da perna direita) teve que sair a meio da segunda parte do jogo deste fim-de-semana, mas treinou-se na véspera desta partida. Já Adriano vai ficar afastado dos relvados durante um mês, depois de ter contraído uma rotura na coxa direita na final da Taça de Espanha.

Resultados do fim-de-semana
Sábado: Valencia CF 3-6 Real
(Soldado 60, Jonas 80, Alba 85; Benzema 23, Higuaín 31 42 53, Kaká 39 62)
O Real marcou seis ou mais golos pela quinta vez esta temporada, apesar de as outras quatro terem sido no Santiago Bernabéu: RC Deportivo la Coruña e Real Racing Club foram derrotados por 6-1 em Outubro, enquanto o Málaga CF perdeu por 7-0 em Madrid, a 3 de Março. A UD Levante foi goleada por 8-0 em jogo da Taça de Espanha, a 22 de Dezembro.

Sábado: Barcelona 2-0 CA Osasuna
(Villa 24, Messi 87)
Antes de inaugurar o marcador no sábado, David Villa não facturava há 11 jogos pelo Barcelona, apesar de ter feito dois golos pela Espanha frente à República Checa, a 25 de Março. Lionel Messi já marcou 53 golos em 55 jogos disputados esta época, entre clube e selecção; o seu golo frente ao Osasuna foi o 50º com a camisola do Barcelona em 2010/11.

Sabia que?
O Real já bateu o Barcelona por duas vezes nesta fase da competição, a caminho de conquistar a Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 1960 e 2002.

Consulte a retrospectiva do jogo para saber mais informações.

Topo