O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Grønkjær de volta para missão improvável

Jesper Grønkjær anseia pelo regresso a Stamford Bridge sete anos depois de ter deixado o Chelsea, apesar de reconhecer que o Copenhaga tem à sua espera uma missão muito complicada.

Jesper Grønkjær voltou a treinar em Stamford Bridge
Jesper Grønkjær voltou a treinar em Stamford Bridge ©Getty Images

Jesper Grønkjær regressa esta quarta-feira a um ambiente que lhe é bastante familiar. O internacional dinamarquês apresenta-se no terreno do Chelsea FC ao serviço do seu actual clube, o FC København, disposto a fazer parte daquilo que espera vir a ser uma notável recuperação em Londres, algo para o qual o técnico dos dinamarqueses considera ter de ser necessário "um milagre ou mesmo dois".

Os campeões dinamarqueses perderam, há três semanas, por 2-0 no Parken Stadion, na primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League e, enquanto Ståle Solbakken reconhece que será necessário algo de espectacular para inverter o estado das coisas, Grønkjær ainda não está pronto a conceder a derrota: "Viemos para tentar a nossa sorte. Sabemos que não estivemos no nosso melhor nível em Copenhaga, mas pretendemos manter o sonho vivo. As nossas hipóteses são reduzidas, mas daremos o nosso melhor".

O extremo de 33 anos sabe melhor do que ninguém a tarefa que aguarda o FCK, depois de ter passado quatro temporadas no Chelsea, antes de, em 2004, ter transitado para o Birmingham City FC. Está ansioso pelo seu regresso Stamford Bridge, pese embora reconheça as enormes alterações que se verificaram no clube londrino desde então.

"Vai ser divertido. Fiz apenas uma curta caminhada ao longo do corredor e já tudo era completamente diferente", disse. "Vai ser um ambiente fantástico. Caminhar em direcção ao relvado será um desfile de recordações. Tenho grandes recordações deste lugar, mas agora represento o FCK e quero vencer".

Os campeões dinamarqueses perderam em duas das suas três visitas a solo inglês, apesar de a excepção ter ocorrido em Stamford Bridge, quando as equipas empataram 1-1 para a segunda eliminatória da Taça UEFA de 1998/99.

Desta vez é necessário bem mais e, de acordo com Grønkjær, é fundamental um arranque muito forte: "Em Copenhaga, eles jogaram melhor do que nós e temos, agora, de jogar ao nosso melhor nível logo desde o apito inicial. As nossas hipóteses de apuramento são escassas. Sabemos que iremos defrontar uma equipa que, pelo menos no papel, é mais forte do que a nossa".