Schweinsteiger anseia por vingança

O médio do Bayern de Munique, Bastian Schweinsteiger, disse ao UEFA.com que eliminar o Inter de Milão ajudaria a aliviar a dor da derrota na final da época passada.

Schweinsteiger anseia por vingança
Schweinsteiger anseia por vingança ©UEFA.com

A memória da final da UEFA Champions League da época passada ainda perturba Bastian Schweinsteiger, mas o médio do FC Bayern München está desejoso por ter uma oportunidade de acertar contas com o FC Internazionale Milano.

A equipa da Baviera esteve a 90 minutos de conseguir, em Maio passado, o seu quinto título europeu, mas não resistiu, em Madrid, a uma equipa do Inter implacável e bem afinada por José Mourinho. A derrota por 2-0 foi um grande anti-climax para o Bayern, após notáveis triunfos sobre o Manchester United FC e o Olympique Lyonnais, apesar de a desilusão ter proporcionado uma motivação adicional para Schweinsteiger na eliminatória dos oitavos-de-final entre os finalistas da prova na época passada.

"Quando se realizou o sorteio e soubemos que íamos defrontar o Inter, ficámos satisfeitos porque sabíamos que era uma oportunidade para vingarmos essa final", disse o internacional germânico ao UEFA.com. "Em Madrid, eles foram simplesmente melhor do que nós tacticamente. Desta vez, no entanto, será diferente. Eles tinham de jogar primeiro em casa, pelo que não podiam ser sempre defensivos. Tiveram de sair para o ataque, o que nos deu mais espaço para explorar o ataque".

Com efeito, o Bayern já atingiu algo que não conseguira no Santiago Bernabéu: marcou. O tento de Mario Gomez aos 90 minutos do encontro realizado em San Siro permitiu uma merecida vitória aos comandados de Louis van Gaal, assegurando-lhes o favoritismo quanto ao apuramento, na terça-feira, para os quartos-de-final. Não que Schweinsteiger esteja exultante pelo triunfo da primeira mão. "O Inter é o detentor do troféu. Venceram tudo na época passada e foram a melhor equipa. Portanto, não há perigo de subestimá-los", indicou o jogador de 26 anos.

Há, ainda assim, uma certeza férrea nos olhos de Schweinsteiger. O esteio do Bayern acredita que a Europa constitui a derradeira hipótese mais realística de o clube germânico conseguir qualquer troféu na presente temporada e está desesperado em não deixar que o campeão italiano e europeu saia triunfante de Munique. "Estamos mesmo ansiosos por este confronto. A UEFA Champions League é a nossa última oportunidade para conseguirmos um troféu, pelo que temos de dar tudo desde o apito inicial e assegurarmo-nos de que nos apuraremos para a fase seguinte. Ao longo de duas mãos, podemos provar que somos uma boa equipa", salientou Schweinsteiger. "Podemos mostrar que éramos ainda melhores do que o Inter, mesmo tendo eles bons jogadores como Wesley Sneijder e Samuel Eto'o".

Actualmente na sua nona temporada, Schweinsteiger já participou em várias boas campanhas da UEFA Champions League, mas ainda não conseguiu vencer a mais prestigiante prova do calendário europeu. Poderá ser este ano? Bem, depende sempre de quem nos sai em sorteio", explicou o experiente médio europeu. "Primeiro, esperamos passar o Inter. Depois, precisamos de um pouco de sorte para chegarmos à final. Na época passada, estivemos a perder por 3-0 na casa do Manchester United FC, mas alterar o rumo da eliminatória, tendo apenas perdido por 3-2 e, depois, vencendo a segunda mão. Tudo tem de sair bem, mas temos qualidade para chegar longe na prova".

No Bayern, a única pessoa que sabe exactamente o que é vencer a prova é Van Gaal. O holandês, que levou o AFC Ajax ao sucesso em 1995, teve sortes distintas durante o seu trajecto na Alemanha, tendo recentemente anunciado que deixará o clube no final da época. Ainda assim, Schweinsteiger considera que a presença de Van Gaal é um valor acrescentado: "Ele tem uma enorme experiência, tendo dirigido várias grandes equipas. Trouxe a sua filosofia ao Bayern e isso foi importante. Van Gaal gosta que as suas equipas sejam disciplinadas, mantenham a posse da bola, mas, também, que pratiquem um futebol de ataque. Ganhámos mais adeptos devido à forma como jogamos".

Conteúdos relacionados