Robben quer evitar complacências

Autor do remate que depois deu o golo da vitória sobre o Inter, Arjen Robben sabe que o Bayern terá de estar "novamente no seu melhor" para evitar qualquer deslize em Munique.

Arjen Robben abraça Mario Gomez, autor do golo do Bayern
Arjen Robben abraça Mario Gomez, autor do golo do Bayern ©Getty Images

O extremo holandês Arjen Robben insiste que ainda há “um longo caminho a percorrer” antes de a sua formação chegar aos quartos-de-final da UEFA Champions League, mas acredita que o FC Bayern München mereceu o golo apontado no último minuto na vitória sobre o FC Internazionale Milano por ter sido "ligeiramente a melhor equipa" na primeira mão dos oitavos-de-final.

O Bayern marcou em cima do minuto 90 depois de ter passado incólume os derradeiros dez minutos em San Siro, isto antes de Robben se aventurar no ataque e tentar a sorte de longa distância, forçando a defesa incompleta de Júlio César que permitiu a Mario Gomez marcar na recarga. Dito isto, Robben acredita que as inúmeras oportunidades criadas pelo conjunto alemão antes do tento constituem um bom augúrio para o encontro de volta.

Robben, que participou apenas em seis jogos pelo campeão da Alemanha na presente temporada, depois da lesão sofrida em Julho passado no Campeonato do Mundo o ter impedido de actuar até 15 de Janeiro, revelou-se determinante nos melhores movimentos atacantes do Bayern: fez o cruzamento para o remate de Franck Ribéry à barra, de cabeça, na etapa inicial, correu 40 metros com a bola antes de atirar ao poste na segunda metade e, finalmente, desferiu o pontapé que levou ao golo dos visitantes.

"Criámos algumas oportunidades e, com alguma sorte, podíamos ter marcado mais cedo”, disse Robben ao UEFA.com, "mas às vezes é preciso esperar por outro momento e desta vez chegou mesmo no fim. Estamos bastante satisfeitos com o resultado. Parecia que ia ficar 0-0, mas é importante marcar no fim. Penso que merecemos a vitória porque fomos ligeiramente a melhor equipa. Mas isso interessa pouco. Ganhámos, estamos em vantagem e isso é muito bom para nós.”

O Bayern adoptou uma postura de ataque desde o início do jogo e partiu para cima do Inter, mesmo correndo o risco de ficar exposto ao contra-ataque, mas o guarda-redes Thomas Kraft exibiu-se em excelente nível. Robben explicou que esse modo de actuar é o preferido do treinador Louis van Gaal.

“É a nossa filosofia e a maneira com queremos jogar futebol”, afirmou. "Queremos ter a posse de bola durante todo o tempo possível, de modo a quebrar os nossos adversários. Penso que a espaços jogámos muito bem e é por isso que digo termos merecido ganhar.”

Apesar da derrota na final da UEFA Champions League frente ao Inter tenha sido há nove meses, Robben foi lesto a recusar que o terceiro triunfo em três ante os “nerazzurri” em Milão tenha sido um ajuste de contas. "Não, se pudesse escolher preferia ter ganho a final, mas a vida continua. Este tratou-se de um novo jogo entre duas equipas e jogadores diferentes e não teve nada a ver com a final, mas estamos muito satisfeitos por estarmos na frente neste momento.”

"O encontro da segunda mão vai ser difícil; nada está ainda decidido. Há ainda um longo caminho a percorrer e o Bayern terá de estar novamente no seu melhor em Munique. Não podemos cometer qualquer deslize; temos de manter a concentração durante os 90 minutos, pois só assim poderemos ter hipóteses."