O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Classe de Messi dá liderança ao Barcelona

FC Barcelona 2-0 FC København
Lionel Messi marcou na primeira parte e bisou ao cair do pano, ajudando a sua equipa a ultrapassar o visitante dinamarquês no topo do Grupo D.

Lionel Messi deu vantagem ao Barcelona frente ao Copenhaga na primeira parte
Lionel Messi deu vantagem ao Barcelona frente ao Copenhaga na primeira parte ©Getty Images

Um remate fulminante de Lionel Messi na primeira parte e um segundo golo ao cair do pano deram a vitória ao FC Barcelona sobre o FC København que muitos estavam à espera. No entanto, o resultado de 2-0 esconde uma noite de frustração e nervosismo.

O visitante dinamarquês mostrou inteligência, paciência e enorme vitalidade para discutir um jogo em que, ao início, se esperava que fosse massacrado. Apesar de Daniel Alves ter acertado no poste, a oportunidade mais flagrante surgiu quando William Kvist, da linha do meio-campo, tentou fazer um chapéu ao guarda-redes do Barcelona, José Pinto, e quase conseguiu. Mas só quando Messi decidiu mostrar outra vez a sua classe, em tempo de compensação, com novo golo, a vitória ficou garantida, permitindo aos anfitriões ultrapassar o FCK no topo do Grupo D.

Ambas as equipas deram sinais madrugadores do quanto o jogo ia ser emocionante. Depois de ter prometido que ia inaugurar o marcador, David Villa precisou apenas de três minutos para quase cumprir a promessa, mas a bola bateu na barra, depois de um passe de Messi. No entanto, apesar de Iniesta se encarregar de gerir o jogo, o FCK mostrou que tinha assimilado bem as indicações do treinador Ståle Solbakken, aproveitando cada contra-ataque com intencionalidade, ritmo e confiança. Foi assim durante todo o jogo.

Messi já tinha cabeceado para as mãos do guardião Johan Wiland, na grande área, quando rematou forte para o primeiro golo da noite, aos 18 minutos. Iniesta encontrou um espaço por entre a apertada defensiva contrária e assistiu o internacional argentino à entrada da área, que elevou a sua conta pessoal para 28 golos em 47 jogos da UEFA Champions League. O 29º viria mais tarde.

E quando Iniesta fez um passe de mágica, ao estilo de Houdini, para escapar à marcação de Martin Vingaard e Claudemir, o estádio quase veio abaixo, mas não havia maneira de aparecer o segundo golo que sentenciaria a partida. Sem surpresa, o estilo destemido do FCK para punir esse falhanço, liderado por César Santin e, em particular, Dame N'Doye, trabalhou sem parar para alcançar um empate surpreendente.

Alves, Messi e Villa desperdiçaram ocasiões de golo e, quase inevitavelmente, a surpresa esteve perto de acontecer, a meio da segunda parte, quando N'Doye fez uso da sua capacidade de explosão para se libertar de Carles Puyol e rematar perante a impotência de Pinto – no lugar de Víctor Valdés, adoentado – que viu a bola embater com estrondo na barra. Santin ainda fez a recarga de cabeça, mas ao lado. Depois, Alves, com um corte no momento certo, impediu o suplente Christián Bolaños de encostar à boca da baliza, antecedendo mais um golo de Messi.