O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Ataque do Schalke faz a diferença

Raúl González e Klaas-Jan Huntelaar destacaram a natureza colectiva da vitória do Schalke sobre o Benfica, mas poucos discordaram de Javi García, para quem os avançados fizeram toda a diferença na Alemanha.

Klaas-Jan Huntelaar, Joel Matip e Raúl González festejam o segundo golo do Schalke
Klaas-Jan Huntelaar, Joel Matip e Raúl González festejam o segundo golo do Schalke ©Getty Images

O médio do Benfica Javi García admitiu que a sua equipa foi suplantada pelo talento ofensivo do FC Schalke 04, mesmo que os avançados Raúl González e Klaas-Jan Huntelaar tenham sido rápidos a destacar a natureza colectiva da vitória caseira no Grupo B.

Jefferson Farfán pôs a formação da Bundesliga em vantagem aos 73 minutos, antes de Huntelaar fazer o seu primeiro golo na UEFA Champions League pelo clube alemão e selar o resultado final, a cinco minutos do fim, numa jogada em que Raúl, seu ex-colega no Real Madrid CF, foi fundamental. O dianteiro espanhol tinha acertado no poste no final da primeira parte, depois de uma excelente troca de passes com o compatriota José Manuel Jurado.

"Foi uma vitória importante para nós, ainda para mais depois da derrota na primeira jornada, frente ao Lyon", disse Raúl ao UEFA.com. "Ainda nos restam dois jogos em casa e este triunfo dá-nos esperança renovada antes da partida com o Hapoel Telavive. Jogámos bem frente a um Benfica forte e este foi o primeiro passo para chegarmos à fase seguinte."

Raúl vai com certeza tentar aumentar a contabilidade que tem na UEFA Champions League, prova na qual detém o recorde de melhor marcador, com 66 golos, quando o Hapoel se deslocar até Gelsenkirchen, daqui a três semanas. Caso a parceria do jogador de 33 anos com Huntelaar continue a desenvolver-se ao ritmo actual, então a equipa israelita pode esperar uma noite atribulada, como preveniu Javi García: "É complicado controlar uma equipa como o Schalke durante todo o tempo."

"Possui jogadores como Raúl, Huntelaar, Jefferson Farfán e Jurado", acrescentou. "São de classe mundial e que podem decidir o jogo a qualquer momento. Estivemos bem durante cerca de 70 minutos, mas no final de contas, o Schalke marcou e nós não. Mas ainda estamos confiantes e acreditamos que podemos chegar aos oitavos-de-final, pelo que esta derrota não altera esse objectivo."

O Schalke está invicto há três jogos, isto após ter perdido cinco dos seis primeiros encontros desta época, pelo que 12 contratações do treinador Felix Magath estão a demorar algum tempo para se ambientarem. Sete actuaram contra o Benfica e Huntelaar marcou pelo quarto jogo consecutivo.

"Quero sempre marcar, mas o mais importante é vencer", revelou o internacional holandês. "Agora temos três pontos como o Benfica, contra seis do Lyon, por isso era importante vencer. Nos últimos três jogos jogámos bem, apesar de achar que na primeira parte nos faltou paciência. A segunda parte foi melhor."