O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Matheus torna sonho "arsenalista" mais real

Sp. Braga 1-0 Sevilla FC
A equipa minhota passou por dificuldades na primeira parte, mas a veia goleadora de Matheus fez aproximar a tão desejada fase de grupos.

Matheus torna sonho "arsenalista" mais real
Matheus torna sonho "arsenalista" mais real ©UEFA.com

O Sporting de Braga está no bom caminho para alcançar a fase de grupos da UEFA Champions League, após um golo de Matheus, aos 62 minutos, ter valido um triunfo por 1-0 na recepção ao Sevilla FC, em partida da primeira mão do "play-off".

O treinador do Sevilha, Antonio Alvarez, havia avisado que a sua equipa estava ciente do valor do Braga, pelo que não estranhou que o conjunto andaluz tenha revelado máxima concentração desde o apito inicial. Contudo, foi mesmo a reconhecida capacidade técnica do duplo vencedor da Taça UEFA que esteve prestes a fazer estragos quando decorria apenas o quinto minuto. Jesus Navas fugiu pela direita e cruzou para a entrada de cabeça de Luis Fabiano, valendo ao guarda-redes Felipe o facto de a bola ter embatido no poste.

O susto madrugador não voltou a repetir-se até ao intervalo, mas a verdade é que o Braga sentiu sempre muitas dificuldades para sair a jogar do seu meio-campo, muito por culpa da acção exercida por Didier Zokora e Renato. A formação de Domingos Paciência parecia algo receosa de sofrer um golo que poderia revelar-se desequilibrador na eliminatória, com os laterais Miguel Garcia e Elderson a terem constantemente de se preocupar com a velocidade de Navas e Diego Capel. O vice-campeão português, tão dominador frente ao Celtic FC, via-se obrigado a lidar com uma nova realidade.

Foi preciso aguardar pelo 45º minuto para se assistir ao primeiro remate dos anfitriões à baliza espanhola, mas a longa espera quase foi sinónimo de festa instantânea. Alan solicitou a desmarcação de Matheus nas costas da defesa do Sevilha e o brasileiro apareceu isolado perante Andrés Palop, mas, de ângulo já apertado, o dianteiro viu o veterano guarda-redes defender para canto. A etapa complementar, para a qual já não voltou o amarelado Miguel Garcia (substituído por Sílvio), ofereceu novo momento complicado para o último reduto "arsenalista".

Estavam decorridos 50 minutos quando Fabiano serviu Navas na direita, com o extremo a desferir um potente remate de pé direito que "morreu" nas malhas laterais. Porém, esse foi mesmo um lance de excepção, já que os jogadores bracarenses estavam agora bem mais rápidos e agressivos sobre a bola, não permitindo os mesmos espaços e tranquilidade aos andaluzes. E depois de "aguentar" o adversário, foi tempo de arriscar, com Domingos a lançar Lima para o lugar de Luis Aguiar.

Coincidência ou não, o Braga acabou mesmo por chegar ao golo aos 62 minutos, quando Sílvio cruzou do lado esquerdo e proporcionou o cabeceamento a Paulo César. Palop ainda evitou o pior para a sua equipa com uma defesa fantástica, mas o felino Matheus estava no sítio certo para fazer a recarga de cabeça e lançar o delírio nos adeptos "arsenalistas". O Braga estava agora por cima e Leandro Salino só não assinou o 2-0 aos 70 minutos porque Palop ofereceu o corpo à bola e impediu o talentoso brasileiro de festejar.

O Sevilha era agora uma sombra da equipa que geriu o encontro nos primeiros 45 minutos, não conseguindo mesmo evitar uma derrota que poderia ter ganho contornos ainda mais graves para a segunda mão, que se disputa na próxima terça-feira, no Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán, já que Lima fez a bola embater na trave precisamente no minuto 90.