O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

2006/07 AC Milan 3-0 Manchester United FC: Crónica

"Jogar como fizemos na primeira parte é o sonho de qualquer treinador, foi futebol perfeito." Carlo Ancelotti

2006/07 AC Milan 3-0 Manchester United FC: Crónica
2006/07 AC Milan 3-0 Manchester United FC: Crónica ©UEFA.com

Cirúrgico, perspicaz e dinâmico, o AC Milan anulou de forma concludente a vantagem de 3-2 trazida pelo Manchester United FC da primeira mão, vencendo por 3-0 em San Siro e marcando encontro na final com o Liverpool FC, pela segunda vez em três anos.

O United tinha perdido por 2-1 com a AS Roma na primeira mão dos quartos-de-final, para depois pulverizar os "giallorossi" com uma goleada por 7-1 em Old Trafford. No entanto, nas meias-finais, a sorte mudou de mãos. O Milan de Carlo Ancelotti exibiu estilo na capital italiana da moda, com os visitantes a serem meros observadores ao longo de todo o encontro.

Os "rossoneri" estavam decididos a dar a volta à eliminatória de uma forma idêntica à conseguida pelo adversário na ronda anterior. Autor de ambos os golos na primeira mão, Kaká foi mais uma vez a estrela em destaque. O avançado brasileiro demorou pouco tempo a mostrar-se a Nemanja Vidić – que regressou à titularidade numa defensiva do United debilitada, depois de mais de um mês ausente –, passando pelo defesa-central antes de rematar cruzado, ligeiramente ao lado.

O médio holandês Clarence Seedorf testou o compatriota Edwin van der Sar com um remate de longe, e os jogadores de Alex Ferguson pareciam intimidados – aos 11 minutos já estavam a perder. Seedorf correspondeu a um passe longo, atrasando de cabeça para trás, onde surgiu Kaká a rematar para o canto inferior da baliza.

Assistente nesse lance, o médio holandês foi igualmente preciso à entrada da área, à passagem da meia-hora. Apesar de a finalização de Seedorf ter feito o estrago, foi o passe arriscado de Gabriel Heinze e a escorregadela posterior de Vidić que possibilitaram o cruzamento venenoso de Andrea Pirlo.

Brilhando com a ameaça criativa e consolidado por jogadores inteligentes no meio-campo, o Milan nunca pareceu em perigo depois disso. Massimo Ambrosini representou a sua abordagem astuta, mas foi a faceta mais criativa do médio italiano que construiu o terceiro dos anfitriões, a 12 minutos do fim.

O fabuloso passe de Ambrosini a partir do seu meio-campo encontrou Alberto Gilardino, colocado no coração de uma defesa do United fracturada. Correu isolado para a baliza e bateu Van der Sar. Um golo elegante a culminar uma exibição de classe.