Dermitzakis com estreia positiva

AFC Ajax 1-1 PAOK FC
No jogo de estreia de Pavlos Dermitzakis como treinador do PAOK, os gregos empataram em Amesterdão graças a um golo de Vladimir Ivić na segunda parte.

Gregory van der Wiel (à esquerda) disputa a bola com o marcador do golo do PAOK, Vladimir Ivić
Gregory van der Wiel (à esquerda) disputa a bola com o marcador do golo do PAOK, Vladimir Ivić ©AFP

O PAOK FC (com Vieirinha a titular) proporcionou ao novo técnico, Pavlos Dermitzakis, uma noite para mais tarde recordar, ao alcançar um empate frente ao AFC Ajax na primeira mão da terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League.

Nomeado sexta-feira, após a demissão de Mario Beretta, Dermitzakis podia ter sido perdoado por recear o pior quando o capitão do Ajax, Luis Suárez deu, de forma espectacular, a liderança ao conjunto holandês quando apenas estavam decorridos 13 minutos. Contudo, um forte remate de Vladimir Ivić a 17 minutos do final, na sequência de um rápido contra-ataque, deu à formação de Salónica uma ligeira vantagem para o jogo da segunda mão, na cidade grega, na próxima quarta-feira.

O PAOK teve sorte em não ver-se em desvantagem instantes antes do tento de Suárez, quando Kostas Chalkias sacudiu um remate de Siem de Jong, com Miralem Sulejmani a não aproveitar a recarga. Depois, Anis Boussaidi cabeceou para trás e Gregory van der Wiel tocou para Suárez, que, de costas para a baliza, ensaiou, com sucesso, um pontapé de bicicleta, abrindo o activo.

Após ter-se escapado ao seu marcador, Sulejmani ameaçou pela segunda vez dez minutos antes do intervalo, com um remate rasteiro que passou ligeiramente ao lado do poste. A segunda parte continuou semelhante ao primeiro tempo, com a equipa de Martin Jol a pressionar, mas sem conseguir colocar Chalkias em apuros. O PAOK, à procura do empate e tendo mais posse de bola, tornou-se mais confiante e foi recompensado quando Ivić acorreu a um passe longo e rematou ao ângulo superior. Toby Alderweireld cabeceou ao lado para o Ajax a apenas nove minutos do final, mas o PAOK e Dermitzakis haviam sido os últimos a sorrir.

Topo