Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Inter encosta Barça às cordas

FC Internazionale Milano 3-1 FC Barcelona
Golos de Sneijder, Maicon e Diego Milito deram aos pupilos de José Mourinho uma importante vitória sobre os campeões europeus em título.

A festa dos jogadores do Inter
A festa dos jogadores do Inter ©Getty Images

O FC Internazionale deu a volta ao resultado em San Siro e bateu o FC Barcelona por 3-1, desfecho que abre boas perspectivas para os italianos no encontro da segunda mão, dentro de uma semana, em Camp Nou.

A formação de José Mourinho viu-se em desvantagem aos 19 minutos, quando Pedro Rodríguez colocou o Barcelona na frente, mas, com Diego Milito em evidência, virou o resultado. O argentino fez a assistência para o golo do empate, apontado por Wesley Sneijder, aos 30 minutos, e para o segundo, marcado por Maicon, aos 47, e estabeleceu ele mesmo o resultado final, à passagem da hora de jogo.

O encontro começou em bom ritmo, mas só à passagem do primeiro quarto-de-hora surgiu a primeira situação de golo. Samuel Eto'o ganhou espaço junto à área e desferiu um forte remate, ao qual Víctor Valdés respondeu com uma defesa incompleta; Diego Milito, na recarga, atirou ao lado. E acabou por ser o Barça a inaugurar o marcador, na resposta. Maxwell fugiu pela esquerda até à linha de fundo e cruzou atrasado, rasteiro, para a entrada de Pedro Rodríguez que, à vontade, rematou com êxito. O Inter procurou reagir, mas os passes em profundidade encontravam frequentemente os atacantes em fora-de-jogo.

Os pupilos de Mourinho começaram, então, a apostar num futebol mais apoiado, e o perigo voltou a rondar a baliza do Barça aos 27 minutos. Goran Pandev isolou Milito, mas, de ângulo apertado, o argentino voltou a atirar ao lado. Foi o aviso para o golo da igualdade, que surgiu três minutos depois. Eto'o colocou a bola em Milito, no coração da área, e este serviu Sneijder que, solto na direita, não perdoou. Após o golo da igualdade, o Barça voltou a dispor de mais tempo de posse de bola, com o Inter a apostar novamente nos lançamentos rápidos para o ataque sem que, contudo, o perigo voltasse a rondar as balizas até ao intervalo.

O segundo tempo arrancou com o Inter a entrar a todo o gás e, já depois de Pandev ter chegado atrasado a um perigoso passe de Milito, chegou mesmo à vantagem no marcador, aos 48 minutos. Sempre irrequieto, Milito desmarcou-se pela esquerda e serviu Maicon que, vindo de trás, tocou para o fundo das redes. As más notícias continuaram para o Barça instantes mais tarde, com Carles Puyol a ver um cartão amarelo que o afasta da partida da segunda mão. A turma catalã recompôs-se e, no espaço de dois minutos, forçou o guarda-redes do Inter, Júlio César, a duas excelentes intervenções. Primeiro foi Lionel Messi, num remate de longe, aos 53 minutos, e logo a seguir Sergio Busquets, de cabeça. Mourinho via o perigo a rondar com maior frequência a sua área e fez entrar Dejan Stankovic para o Lugar de Pandev, reforçando o meio-campo.

E foi mesmo o Inter a voltar a marcar, aos 60 minutos, por intermédio de Milito. Eto’o cruzou para Sneijder e o holandês, solto na área, tentou o remate de cabeça, mas acabou por fazer uma assistência perfeita para a entrada do avançado argentino, que elevou para 3-1. Com dois golos de vantagem, o Inter fechou-se na defesa e o Barça apenas conseguiu voltar a criar perigo aos 79 minutos, num pontapé livre de Messi ao qual Júlio César respondeu com mais uma excelente defesa.  Os visitantes encostaram a equipa da casa à sua área nos minutos finais, e viram Lúcio salvar sobre a linha de golo um remate de Gerard Piqué, mas o Inter segurou mesmo a vantagem de dois golos.

Topo