O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Feito do Lyon maravilha Puel

Claude Puel estava radiante pelo "enorme feito" proporcionado por uma alteração táctica que ajudou o Lyon a eliminar o Real Madrid, cujo treinador, Manuel Pellegrini, lamentou o "enorme revés".

Os jogadores do Lyon festejam após o final da partida
Os jogadores do Lyon festejam após o final da partida ©Getty Images

Claude Puel estava radiante pelo "enorme feito" proporcionado pelo tento que Miralem Pjanić marcou ao cair do pano, qualificando o Olympique Lyonnais para os quartos-de-final da UEFA Champions League a expensas do Real Madrid CF. O golo de Cristiano Ronaldo no início da partida havia revitalizado a esperança dos "merengues" em disputarem a final de dia 22 de Maio no Santiago Bernabéu. Ao invés, a realidade é que se tratou de "enorme revés" para Manuel Pellegrini.

Claude Puel, treinador do Lyon
É um enorme feito, especialmente tendo em conta a forma como o jogo começou. Escapámos a um desastre no primeiro tempo. O golo logo ao início elevou a confiança do Real Madrid e deixou-nos na expectativa. Isso significou que a primeira parte foi complicada, tal como o intervalo. [Jean-Alain] Boumsong e [Jean II] Makoun tiveram de ser substituídos devido a lesões nas virilhas e Lisandro também teve um problema, mas conseguiu fazer o jogo todo. Os substitutos foram decisivos, fizeram um trabalho fantástico. Mudámos o sistema e refizemos a equipa por completo. O Mire [Pjanić] subiu para apoiar o Lisandro e isso tornou-nos mais fluídos. Para mais, marcou o golo.

A primeira mão foi boa e fizemos a mesma coisa na segunda. Estávamos a passar por apuros por eles jogarem rapidamente desde a sua defesa e tivemos alguma sorte quando remataram ao poste. Mudámos a disposição táctica na segunda parte e avançámos dez metros no terreno, uma vez que o Real Madrid estava mais cansado após todo o trabalho efectuado na primeira parte. Pudemos, depois, jogar a toda a largura e fazê-los correr atrás da bola, a eles que adoram tê-la nos seus pés. Quando olhamos para a segunda parte, vemos que merecemos a qualificação. Esta equipa está a escrever a sua própria história. Agora, temos de continuar.

Manuel Pellegrini, técnico do Real Madrid
O principal responsável sou eu, mas temos de recuperar deste golpe e continuar a lutar pelo título espanhol. Trata-se de um grande revés. Jogámos bem na primeira parte, mas tivemos duas boas ocasiões e desperdiçámo-las. Após o intervalo, a equipa começou a ficar mais ansiosa e eis que surgiu o golo do Lyon. Era o nosso sonho jogar a final no Bernabéu. Os jogadores estão arrasados por esta dolorosa eliminação, mas temos de nos erguer e continuar a trabalhar. Tudo o que posso fazer é continuar a trabalhar. Trata-se de um rude golpe, mas temos de olhar em frente.

Fizemos uma excelente primeira parte e podíamos ter marcado um segundo golo. Isso teria aberto a defesa do Lyon e tornado as coisas mais fáceis. Na segunda parte tentámos mais acções individuais, mas isso porque estávamos preocupados por o resultado apenas estar em 1-0. Depois, começámos a acusar o esforço efectuado na primeira parte. As oportunidades que falhámos na etapa inicial viriam a revelar-se decisivas. Trata-se de um revés muito forte, que o Real Madrid sofreu pela sexta época consecutiva, mas temos de continuar a lutar.