Aviso à concorrência

O avançado Alberto Gilardino considerou que o triunfo (2-1) da Fiorentina no terreno do Liverpool confirmou que o clube italiano se está a tornar numa das potências do futebol europeu.

Alberto Gilardino saúda os adeptos da Fiorentina que se deslocaram a Inglaterra
Alberto Gilardino saúda os adeptos da Fiorentina que se deslocaram a Inglaterra ©Getty Images

Alberto Gilardino considerou que o triunfo da ACF Fiorentina nos instantes finais da deslocação ao terreno do Liverpool FC confirmou que o clube se está a tornar numa das potências do futebol europeu.

Primeiros do grupo
O avançado italiano marcou o golo da vitória no segundo minuto do período de compensação e permitiu que a equipa da Serie A conseguisse um memorável triunfo por 2-1, rumando aos oitavos-de-final da UEFA Champions League como primeira classificada do Grupo E, com mais dois pontos do que o Olympique Lyonnais.

"Quase perfeito"
A Fiorentina chegou ao intervalo em desvantagem e a reviravolta começou quando Gilardino fez a assistência para Martin Jørgensen empatar, numa exibição que levou o transalpino a afirmar: "Temos a noção que evoluímos muito e sabemos quais são os nossos pontos fortes. Nunca é fácil impor o jogo no campo do Liverpool, mas fizemos um excelente trabalho". O médio Riccardo Montolivo mostrou-se totalmente de acordo: "Considero que nesta campanha na UEFA Champions League temos mostrado que demos vários passos em frente e o jogo desta noite foi, globalmente, quase perfeito".

Cavalieri com muito trabalho
Antes do início da partida, os dois mil adeptos da Fiorentina que se deslocaram a Anfield Road cantaram "Liverpool", em homenagem à equipa anfitriã. No entanto, a forma como o conjunto "viola" averbou a quinta vitória consecutiva na UEFA Champions League mostrou que a veneração se ficou pelas bancadas. A Fiorentina criou as melhores oportunidades do primeiro tempo, no qual Lorenzo De Silvestri e Montolivo obrigaram Diego Cavalieri a fazer excelentes defesas. O Liverpool foi mais eficaz e concretizou a sua primeira situação de perigo quando Yossi Benayoun marcou de cabeça nos últimos minutos da primeira parte. "Considero que jogámos melhor que o Liverpool na primeira parte", acrescentou Montolivo. "Depois tivemos de ser fortes para lutar pela vitória até ao final".

Serenata à chuva
O Liverpool criou mais perigo no segundo tempo, período durante o qual o suplente Fernando Torres, que não jogava há cinco semanas, criou problemas à defesa visitante. Contudo, a Fiorentina conquistou os três pontos com a ajuda de um jogador vindo do banco, pois foi o peruano Juan Vargas a avançar pela esquerda e cruzar para o golo de Gilardino. "Pensei que a bola estava perdida, mas o Juan não desistiu e o Gila marcou o golo da vitória", explicou Montolivo. "Estou muito contente, foi fantástico marcar aos 93 minutos e comemorar com o público. Os adeptos que aguentaram toda aquela chuva mereceram este triunfo", acrescentou o autor do segundo golo.

Sem receio
O golo nos minutos finais permitiu à Fiorentina terminar com 15 pontos – mais do que qualquer outra equipa na fase de grupos, a par do FC Girondins de Bordeaux – e o triunfo torna-se ainda mais impressionante se pensarmos que não contou com muitos dos habituais titulares. Na época passada, no regresso à UEFA Champions League, a formação treinada por Cesare Prandelli não conseguiu ultrapassar a fase de grupos, mas agora tem razões para encarar com optimismo a primeira presença nos oitavos-de-final desde 1999/00. "Todas as equipas são de alto nível", afirmou Montolivo, questionado sobre os potenciais adversários e, como apenas o Real Madrid CF marcou mais golos na fase de grupos, os florentinos não têm razões para recear ninguém.