Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Catalães acreditam em coincidências

Carles Puyol e Víctor Valdés foram os jogadores do Barça que estiveram na conferência de imprensa de antevisão da final de 2006 e esperam que isso seja um sinal de que vão voltar a bater uma equipa inglesa.

Carles Puyol voltou a enfrentar a imprensa
Carles Puyol voltou a enfrentar a imprensa ©Getty Images

Carles Puyol e Víctor Valdés foram os jogadores do FC Barcelona que estiveram presentes na conferência de imprensa de antevisão da final da UEFA Champions League de 2006, quando os catalães derrotaram o Arsenal FC. Num momento que deve ser mais fruto do acaso do que de superstição, os dois jogadores voltaram a enfrentar os jornalistas antes da final de Roma, com ambos a afirmarem que esperam que esta coincidência seja sinal de que vão voltar a bater uma equipa inglesa na final da prova rainha das competições europeias.

Muitos títulos
O Barça bateu os "gunners" por 2-1, em Paris, e conquistou a segunda Taça dos Clubes Campeões Europeus do seu historial. Para conquistar o troféu pela terceira vez, no Stadio Olimpico, os espanhóis terão de levar a melhor sobre uma equipa do Manchester United FC que também está em grande forma e já conquistou diversos títulos esta época. "Estamos os dois aqui porque era a nossa vez", explicou o defesa Puyol aos jornalistas de todo o Mundo. "Mas será óptimo se conseguirmos repetir o resultado.

"Vamos ser supersticiosos" 
"Sabemos que vai ser um jogo muito competitivo, mas temos uma equipa forte. Somos sólidos na defesa, temos jogadores de grande qualidade, mas vamos ter de lutar muito para vencer", continuou Puyol, que mereceu a concordância do guarda-redes Valdés: "A nossa presença aqui foi obra do acaso, mas será óptimo se o resultado também se repetir, por isso vamos ser supersticiosos. Vai ser um desafio muito disputado, frente a uma das melhores equipas do Mundo e espero que a vitória seja nossa".

A motivação de Puyol
Tal como o United, que venceu o Chelsea FC na final do ano passado em Moscovo, o Barcelona também sabe o que é preciso para alcançar e vencer uma final. Quais são as diferenças em relação a 2006? "Pessoalmente, estou a abordar este jogo com o mesmo entusiasmo e alegria", continuou o capitão Puyol, o jogador que ergueu o troféu no Stade de France. "É tão difícil chegar aqui que temos que desfrutar do momento. Estou muito motivado para quarta-feira e ansioso que o jogo comece".

Importância da defesa 
"Sabemos que estamos perante uma oportunidade histórica. Temos uma grande equipa pela frente e respeitamos muito o United, mas vamos tentar ganhar este troféu para que seja o coroar de uma época verdadeiramente espectacular". Puyol reconhece que não terá um momento de descanso, pois a defesa catalã terá muito trabalho para tentar controlar a dupla Rooney e Ronaldo, mas fez questão de destacar o papel decisivo que ele e os seus colegas da defesa podem desempenhar: "Conhecemos bem os pontos fortes do ataque dos ingleses, mas eles também têm excelentes defesas, por isso temos de os encarar como uma equipa. Os defesas podem fazer a diferença, como o Juliano Belletti provou há três anos, quando apontou o golo da vitória em Paris".

"Preparado para tudo" 
A defesa do Barcelona está desfalcada nas laterais, devido às suspensões de Eric Abidal e Daniel Alves, enquanto Rafael Márquez sofreu uma grave lesão num joelho, mas as ausências não retiram confiança a Valdés. "Temos excelentes suplentes, que são tão bons como aqueles que estão impedidos de jogar. Confio plenamente nos meus colegas", explicou o guarda-redes. "Este é o jogo mais importante das nossas vidas. O passado é passado, agora só queremos estar concentrados em ganhar a final. Estou preparado para tudo".

Topo