Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Guardiola mantém esperança no apuramento

O treinador do Barça, afirmou que "não há ninguém a culpar" pelo facto de a sua equipa não ter ganho, após o nulo frente ao Chelsea. O técnico dos londrinos, Guus Hiddink, elogiou a coragem dos seus jogadores.

Josep Guardiola, treinador do Barcelona, gesticula durante o jogo da primeira mão frente ao Chelsea
Josep Guardiola, treinador do Barcelona, gesticula durante o jogo da primeira mão frente ao Chelsea ©Getty Images

O treinador do FC Barcelona, Josep Guardiola, elogiou os seus jogadores pela exibição que fizeram, no empate sem golos nas meias-finais da UEFA Champions League, frente ao Chelsea FC, e prometeu ir a Londres "com a mesma atitude", no decisivo encontro da próxima quarta-feira. Já Guus Hiddink admitiu que "nada está resolvido" e louvou a coragem defensiva da sua equipa, individualizada nas exibições de Petr Čech, John Terry e José Bosingwa.

Josep Guardiola, treinador do Barcelona
O resultado é o que é, não se pode dizer que se merece mais ou menos em futebol. Os nossos adversários sabem como jogamos e foram muito defensivos. Tiveram seis atletas a defender e são fisicamente fortes, mas tentámos jogar da mesma forma e dar uma boa imagem. Vamos a Londres com a mesma atitude e nada mudará isso. Não há motivo algum para ficarmos envergonhados depois de uma exibição destas: não há ninguém a culpar por não termos vencido. Só posso estar orgulhoso dos meus jogadores. Não é fácil jogar bem quando o adversário não tenta atacar e jogar futebol. As eliminatórias europeias podem resolver-se em pequenos detalhes e estes não nos foram favoráveis.

Temos vindo a ganhar jogos durante muitos meses e a confiança continua em alta, mas continuamos a precisar do apoio dos nossos adeptos e eles foram uma grande ajuda neste desafio. Jogámos com honestidade e as pessoas dão valor a isso. Tentamos sempre ganhar e é isso que vamos fazer frente ao Real Madrid no próximo sábado.

Guus Hiddink, treinador do Chelsea
Estamos satisfeitos com o resultado, tendo em conta os recentes resultados do Barcelona e as margens de vitória nos últimos jogos disputados aqui. Penso que é a primeira vez que eles não marcaram um único golo num jogo em casa esta temporada e isso é um grande feito. Conseguimos ser muito disciplinados em termos tácticos e defensivos, mas não conservámos a posse de bola da forma que desejávamos na primeira parte, acabando por recorrer demasiadas vezes ao alívio puro e simples para fora de campo. Na segunda parte estivemos melhor e começámos a jogar. É elogioso para a equipa conseguir um resultado positivo nestas circunstâncias, mas temos de melhorar no segundo jogo. Hoje em dia não há grande diferença entre actuar fora ou em casa e, por isso, nada está decidido, mas de qualquer forma é um bom resultado frente a uma boa equipa.

O Petr esteve muito bem. Esteve bem a defender e o [José] Bosingwa também fez um bom trabalho. Foi ajudado pelo [Florent] Malouda no lado esquerdo, além de ter havido grande apoio do John Terry quando o Messi cortava para dentro. É preciso jogar com grande coragem neste campo e também com grande inteligência. O Terry foi uma inspiração e um exemplo para o resto da equipa, que respondeu muito bem. Esta é uma equipa que tem de jogar melhor com a bola em sua posse, mas este adversário não facilita. A minha equipa foi muito corajosa e está pronta para deixar a pele em campo para chegar à vitória. Mentalmente é muito forte.

Topo