O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Mancini sonha com a recuperação

O treinador do Inter pretende ultrapassar o Liverpool para juntar mais um capítulo de glória à centenária história do clube italiano.

Roberto Mancini e Rafa Benítez
Roberto Mancini e Rafa Benítez ©Getty Images

O treinador Roberto Mancini passou todo o fim-de-semana na companhia das principais lendas do FC Internazionale Milano, nas comemorações do centenário do clube "nerazzurri", por isso pretende que os seus jogadores se inspirem nas glórias do passado, particularmente na equipa de 1965, no encontro da segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League, esta terça-feira, diante do Liverpool FC.

Constelação de estrelas 
Na noite de sábado, durante as comemorações dos 100 anos do clube onde actuam os portugueses Luís Figo, Pelé e Maniche, desfilaram pelo relvado de San Siro centenas de antigos jogadores, entre as quais algumas das figuras mais marcantes da sua história. A assistir à festa estiveram lendas de vários períodos como Sandro Mazzola, Jürgen Klinsmann, Mario Corso, Lothar Matthäus, Jair e Andreas Brehme. No final, todos rumaram à Piazza del Duomo para comer um enorme bolo, com as tradicionais listas pretas e azuis, que foi cortado pelo presidente Massimo Moratti.

Repetir 1965
Mancini também pretende fazer história e tenta repetir a proeza de 1965, quando o Inter conseguiu uma das recuperações mais sensacionais das competições europeias. Nesse ano, os italianos começaram por perder por 3-1, em Anfield, mas conseguiram vencer por 3-0 no encontro da segunda mão, em San Siro, rumo ao segundo triunfo consecutivo na Taça dos Clubes Campeões Europeus. O Inter terá agora de repetir o feito se quiser anular a desvantagem de 2-0 do encontro de 19 de Fevereiro, quando Dirk Kuyt e Steven Gerrard deram o triunfo aos ingleses.

"Noite extraordinária"
"Ninguém esquece aquele jogo de 1965, porque foi uma noite extraordinária, na qual o Inter conseguiu uma reviravolta que parecia impossível", afirmou Mancini. "Espero que dentro de 43 anos as pessoas recordem este encontro da mesma forma. Por vezes a história repete-se e esperamos também fazer história, mas não será fácil".

Defesa enfraquecida
Os líderes do Serie A impuseram-se no sábado, por 2-0, na recepção à Reggina Calcio, com os golos de Zlatan Ibrahimović e Nicolás Burdisso a permitirem terminar com um jejum de vitórias que durava há quatro jogos. Mas as aspirações europeias do Inter são também condicionadas pelas lesões e pelos castigos. A defesa não poderá contar com os lesionados Walter Samuel (joelho), Iván Córdoba (joelho), Maxwell (tornozelo) e Marco Materazzi (castigado). "Existem muitas noites memoráveis na história da UEFA Champions League, em que várias equipas conseguiram recuperações que pareciam impossíveis", concluiu Mancini.

"Orgulhoso" 
O Liverpool é uma equipa que conhece bem os segredos de uma boa recuperação, tendo marcado três golos em sete minutos para bater o AC Milan na final de 2005. O treinador Rafael Benítez mostrou-se "orgulhoso" das exibições europeias da sua equipa e diz que Mancini tem razão quando afirmou que os visitantes não vão entrar em campo para defender. "Nesta altura estamos em boa forma, por isso vamos tentar impor o nosso jogo e marcar um golo".

Torres é trunfo
No sábado, os "reds" bateram o Newcastle United FC, por 3-0, na Premier League, com golos de Jermaine Pennant, Fernando Torres e Steven Gerrard. Em Itália, os ingleses não poderão contar com Daniel Agger, lesionado num dedo do pé, nem com Xavi Alonso, prestes a ser pai, mas terão ao dispor o inspirado Fernando Torres. "Está em grande forma", comentou Benítez, que viu o avançado espanhol marcar sete golos desde o embate da primeira mão. "Ele está sempre a tentar melhorar e espero que consiga marcar neste jogo".