Sevilha quer continuar a vencer

O Sevilha procurará, frente ao Slavia, o quinto triunfo consecutivo na prova, que lhe dará a vitória no grupo. Os checos já estão apurados para a Taça UEFA.

Michal Švec persegue o sevilhano Seydou Keita durante o jogo da segunda jornada
Michal Švec persegue o sevilhano Seydou Keita durante o jogo da segunda jornada ©Getty Images

Com uma ronda de jogos para a conclusão do Grupo H da UEFA Champions League, o Sevilla FC assumiu o primeiro lugar da “poule”, ultrapassando o Arsenal FC e agora procurará cimentar essa posição no terreno do SK Slavia Praha, equipa que ocupará o terceiro lugar, independentemente dos resultados verificados na última jornada.

• Antes da quinta jornada, o Slavia ainda tinha esperanças de chegar aos oitavos-de-final, mas não conseguiu vencer no terreno do FC Steaua Bucuresti, ao passo que o triunfo do Sevilha sobre o Arsenal tornou o desfecho dos checos verdadeiramente irrelevante.

• De facto, o Slavia parecia caminhar para a sua terceira derrota no grupo, após Valentin Badea ter marcado para o Steaua. Contudo, os checos viriam a empatar a contenda nos derradeiros minutos, através de um golpe de cabeça de Zdeněk Šenkeřík, que assim apurou a equipa para os 16-avos-de-final da Taça UEFA.

• Após um triunfo caseiro na primeira jornada sobre o Steaua, a equipa de Karel Jarolím esperava continuar o seu bom arranque no terreno do Sevilha, mas os detentores da Taça UEFA redescobriram a melhor forma em grande estilo, marcando logo aos oito minutos, por intermédio de Frédéric Kanouté. Daniel Pudil empatou para os visitantes, mas Luís Fabiano devolveu a vantagem aos sevilhanos. Golos na segunda parte de Julien Escudé e do suplente Arouna Koné coroaram uma exibição de grande qualidade. Já em período de descontos, David Kalivoda apontaria outro tento para o Slavia.

• Antes desse jogo, o Slavia defrontara adversários espanhóis em quatro ocasiões, mas só por uma vez conseguiu vencer. Aconteceu em casa, frente ao RC Celta de Vigo, para a terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League de 2003/04. Contudo, o triunfo por 2-0 não foi suficiente para que a equipa checa se qualificasse, uma vez que havia perdido por 3-0 na primeira mão. O Slavia também enfrentou o Valencia CF, para a segunda eliminatória da Taça UEFA de 1996/97, tendo sido eliminado em virtude da derrota em casa por 1-0, à qual se seguiu um empate sem golos no Mestalla.

• O Sevilha pode sentir-se satisfeito pela sua campanha de estreia na fase de grupos da UEFA Champions League, tendo rapidamente esquecido a desilusão da derrota na primeira jornada por 3-0, ao obter quatro vitórias consecutivas. A desforra de há duas semanas frente ao Arsenal, no estádio Ramón Sánchez Pizjuán, permitiu, ainda, o apuramento para os oitavos-de-final.

• Os sevilhanos viram-se em desvantagem devido ao golo madrugador de Eduardo da Silva, mas, ainda antes do intervalo, Seydou Keita e Luís Fabiano já haviam operado a reviravolta no marcador. Kanouté selaria a primeira derrota do Arsenal na presente edição da prova, da marca de grande penalidade. A equipa agora dirigida por Manuel Jiménez somente necessita de alcançar o mesmo resultado que o Arsenal conseguir frente ao Steaua para vencer o grupo. No entanto, se o Sevilha perder e os “gunners” não conseguirem vencer, continuarão a ser os andaluzes os vencedores da “poule”.

• Antes da época passada, o Sevilha jamais defrontara equipa da República Checa, mas a fase de grupos da competição que os andaluzes viriam a vencer levou-os ao recinto do FC Slovan Liberec, onde empataram 0-0.