Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Strachan acredita no Celtic

O treinador espera que a experiência da sua equipa e a ambição dos novos reforços permitam ao Celtic ultrapassar o Spartak.

Shunsuke Nakamura foi uma das estrelas do Celtic na primeira mão
Shunsuke Nakamura foi uma das estrelas do Celtic na primeira mão ©Getty Images

O treinador Gordon Strachan acredita que a experiência conseguida na época passada, quando o Celtic ultrapassou a fase de grupos da UEFA Champions League, conjugada com a ambição dos novos reforços, será suficiente para ultrapassar o FC Spartak Moskva.

Experiência europeia
Há duas semanas, os campeões escoceses conseguiram um empate a um golo em Moscovo, na primeira mão da terceira pré-eliminatória, e por isso a equipa está fortemente motivada, tanto mais que, no sábado, goleou o Heart of Midlothian FC por 5-0. "É mais uma oportunidade para proporcionar experiência a uma equipa muito jovem", afirmou Strachan, que não poderá contar com o avançado Kenny Miller. "Jogadores como [Stephen] McManus evoluíram muito durante esta competição no ano passado, por outro lado, elementos como [Scott] Brown, [Massimo] Donati e [Chris] Killen estão com muita vontade de participar na fase de grupos. Do outro lado vai estar uma boa equipa. O Spartak gosta de jogar ao ataque e, se tal acontecer, poderá ser um embate espectacular".

McDonald motivado
Uma das novidades na equipa de Strachan é o internacional australiano Scott McDonald. Depois de ter vibrado no Celtic Park com muitas noites europeias, como espectador, o antigo avançado do Motherwell FC espera assinalar a estreia nas competições europeias em casa com o primeiro golo ao serviço do novo clube. "Vai ser o meu primeiro jogo europeu na Escócia e espero que seja um momento especial", explicou McDonald ao uefa.com. "Vamos entrar ao ataque, em busca de golos, não vamos jogar para o 0-0. Estou um pouco frustrado por ainda não ter conseguido marcar, por isso seria óptimo estrear-me no encontro com o Spartak".

Derrota no sábado
Na véspera da deslocação à Escócia, o Spartak sofreu a primeira derrota desde que, em Junho, Stanislav Cherchesov assumiu o comando da equipa. Com o desaire de sábado frente ao FC Rubin Kazan, por 3-1, a equipa de Moscovo viu reduzida a vantagem que dispunha na liderança do campeonato e, a oito jornadas do fim, passou a ver o FC Zenit St. Peterburg apenas a dois pontos. Para o jogo de quarta-feira, Cherchesov já pode contar com o avançado Nikita Bazhenov e o defesa brasileiro Geder, que se encontravam lesionados no encontro da primeira mão, enquanto Artem Dzyuba não defrontou o Rubin Kazan, mas também vai estar disponível para o jogo com o Celtic. Na lista de lesionados continuam o defesa Martin Jiránek e o médio Serghei Covalciuc.

Celtic cauteloso
Ao contrário do que pensa McDonald, Roman Pavlyuchenko, autor do golo do Spartak em Moscovo, espera mais uma exibição cautelosa do Celtic. "O Celtic é uma equipa estranha", explicou. "Não sei se pretendem jogar futebol. Recuaram e limitaram-se a jogar à defesa durante todo o jogo. O único que mostrou ambição foi o Shunsuke Nakamura. Mesmo assim, ainda criaram duas oportunidades e poderiam ter ganho o jogo. Temos de agradecer ao Stipe Pletikosa o facto de ter salvo a equipa nos últimos minutos. O Celtic está contente com o resultado, por isso penso que vão tentar segurar a vantagem e não irão jogar ao ataque. Vai ser muito difícil, mas somos obrigados a vencer. O jogo de Moscovo mostrou que somos a equipa mais forte".

Topo