O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Apoio do público decisivo

Rafael Benítez sentiu que a "paixão e determinação", assim como o apoio dos adeptos de Anfield, foram determinantes para o Liverpool derrotar o Chelsea e apurar-se para a final.

Rafael Benítez sentiu que a “paixão e determinação”, assim como o apoio dos adeptos de Anfield, foram os factores determinantes para que o Liverpool FC derrotasse o Chelsea FC no desempate por grandes penalidades, que valeu o apuramento para mais uma final da UEFA Champions League. Daniel Agger marcou o único golo da contenda no tempo de jogo, antes de Pepe Reina ter defendido dois penalties [de Arjen Robben e Geremi], num desempate que terminou com o triunfo dos “reds” por 4-1. Para José Mourinho, que deixou palavras de conforto aos seus jogadores e de parabéns aos vencedores, “o Chelsea foi a melhor equipa”. O uefa.com deixa-lhe o rescaldo dos dois técnicos protagonistas da segunda mão das meias-finais.

Rafael Benítez, treinador do Liverpool
Começámos muito bem, mas eles têm bons jogadores e foi difícil controlar o jogo. O Chelsea esteve fantástico na segunda parte e jogou muito bem, mas trabalhámos bastante na defesa da nossa área. Tivemos algumas oportunidades para sentenciar o jogo, mas não as aproveitámos. Creio que os jogadores sabiam hoje como levar a melhor sobre o Chelsea. Eles jogaram com determinação e paixão e com o apoio dos nossos adeptos. Estou mesmo bastante orgulhoso deles e dos meus jogadores. Tentarei desfrutar da noite de amanhã [quando AC Milan e Manchester United FC decidirão quem defrontará o Liverpool na final de Atenas] e não direi qual a equipa que prefiro que ganhe, pois isso entristeceria os adeptos da outra formação.

José Mourinho, treinador do Chelsea
Eles tiveram um curto período bom na primeira parte, mas vi uma equipa de azul a jogar para vencer. Merecíamos estar na final. O Chelsea foi a melhor equipa na primeira mão, em 90 minutos desta e no prolongamento. Contudo, dentro de dez ou 20 anos, ninguém se lembrará disso. Um desempate por grandes penalidades faz parte do jogo e eles foram mais fortes nesse aspecto da partida. O Chelsea demonstrou maior vontade de vencer o encontro, mas, no fim, quem estará na final são eles. Parabéns. Tenho de estar orgulhoso dos meus jogadores e partilhar este momento difícil com eles. Sei que os corações dos adeptos do Chelsea e de cada fã estarão desiludidos, mas solidários.