O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Giggs derruba resistência francesa

LOSC Lille Métropole 0-1 Manchester United FC
O golo de Ryan Giggs coloca a equipa de Cristiano Ronaldo em vantagem na eliminatória.

Quando o nulo parecia inevitável, um livre directo apontado por Ryan Giggs na ponta final da partida ajudou o Manchester United FC a apagar da memória a derrota da época passada frente ao LOSC Lille Métropole. Os britânicos venceram em Lens, por 1-0, e conquistaram uma preciosa vantagem para a segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League.

Velocidade de Giggs
Apesar de ter sido incapaz de repetir o heróico triunfo averbado diante do mesmo adversário em Novembro de 2005, a formação de Claude Puel realizou um bom jogo e ainda conseguiu segurar o conjunto de Sir Alex Ferguson até aos 83 minutos. Mas Giggs, já sem o português Cristiano Ronaldo em campo, cobrou o livre rapidamente e levou o esférico a entrar junto ao ângulo direito da baliza de Tony Sylva, com um disparo de fora da área.

Expectativas elevadas
O palco do encontro podia não ter o aspecto majestoso do Stade de France, onde o Manchester fora derrotado na fase de grupos da época passada, mas a atmosfera e as expectativas estavam bem mais intensas neste encontro e o Lille carregou na fase inicial da partida, apoiado por uma ruidosa multidão nas bancadas. Os franceses desfrutaram da primeira oportunidade do desafio, com um cabeceamento em arco desferido por Nicolas Fauvergue - uma surpresa no "onze" inicial dos gauleses -, que saiu por cima da barra. No entanto, os visitantes responderam e também criaram perigo, por intermédio de Wayne Rooney, num disparo de fora da área que passou perto do alvo.

Postura ofensiva
O avançado internacional inglês formou dupla atacante com Henrik Larsson, num desenho táctico em 4x4x2 declaradamente ofensivo, enquanto Giggs e Cristiano Ronaldo trocavam frequentemente de flanco para perturbar a defensiva da casa. Para facilitar a postura dinâmica dos visitantes, os anfitriões passaram a perder muitas bolas em zona pouco aconselhável, mas a verdadeira acção passava-se no bloco de apontamentos do árbitro, no qual foram inscritos durante os primeiros 30 minutos de jogo os nomes de Fauvergue, Patrice Evra, Mathieu Debuchy e Nemanja Vidić.

Ronaldo perto do golo
Com efeito, o encontro manteve-se equilibrado até ao momento em que Giggs, a cinco minutos do intervalo, investiu pela direita e endossou o esférico a Rooney. O avançado inglês tentou assistir Larsson, mas o passe foi interceptado por Sylva. No entanto, só a fantástica oposição Debuchy impediu Cristiano Ronaldo de inaugurar o marcador no aproveitamento do ressalto. Do outro lado, Mathieu Bodmer apostava na meia-distância para alvejar a baliza, embora a pontaria não fosse a melhor e por isso o intervalo chegou com o marcador em branco.

Magia de Rooney
O espectáculo estava a ser pouco interessante, mas um momento de magia de Rooney deu o mote para novo período de pressão do Manchester. O avançado recolheu o esférico no centro do terreno, passou facilmente por Nicolas Plaestan e colocou a bola na zona de finalização, onde Giggs, em voo, não conseguiu dar o melhor seguimento. Pouco depois, Ronaldo conseguiu levar a melhor sobre o defesa-esquerdo Grégory Tafforeau e deixou as luvas de Sylva em brasa com um disparo explosivo.

Golo anulado
Determinado, o Lille respondeu por intermédio de Bodmer, que poderia ter feito melhor do que um remate fraco desviado com a perna por Edwin van der Sar. No entanto, os gauleses pensaram que tinham realmente inaugurado o marcador quando Peter Odemwingie desviou com êxito um centro de Ludovic Obraniak, mas o lance foi precedido de carga sobre Vidić. Este susto terá convencido Alex Ferguson a lançar Louis Saha para o lugar de Cristiano Ronaldo. O francês entrou em campo e provocou imediatamente estragos ao rematar rasteiro, respondendo Sylva com um mergulho para a direita.

Giggs marca
A sequência de oportunidades continuou com um pontapé em arco de Odemwingie, que passou muito perto do alvo, antes de Larsson surgir livre de adversários e disparar por cima da barra. Quando o jogo parecia condenado ao nulo, Giggs acertou em cheio e permitiu ao Manchester regressar a casa com meia missão cumprida. As duas equipas voltam a medir forças a 7 de Março, em Old Trafford.